Academia Campo Grande, Mato Grosso do Sul

Encontre academias em Campo Grande. Conheça os profissionais especializados desta área em sua região, aproveite e leia nossos artigos com tutoriais, dicas e informações relevantes sobre este assunto.

Academia Penelope
(67) 3326-3071
r Oceano Atlântico, 392, Chácara Cachoeira
Campo Grande, Mato Grosso do Sul

Dados Divulgados por
Academia Campograndense de Raquetes
(67) 3326-3525
r Peixe Vivo, 101, Caranda Bosque
Campo Grande, Mato Grosso do Sul

Dados Divulgados por
Academia Corpo Livre Ltda. - Me
(67) 3026-7087
av Alvorada, 159, Centro
Campo Grande, Mato Grosso do Sul

Dados Divulgados por
Academia M3 Ltda
(67) 3326-1793
av Mato Grosso, 3463, Residencial Ipanema
Campo Grande, Mato Grosso do Sul

Dados Divulgados por
Academia Boa Forma
(67) 3385-8976
r Panambi Vera, 514, São Pedro
Campo Grande, Mato Grosso do Sul

Dados Divulgados por
Acad César
(67) 3383-4575
r 13 Junho, 1870, Centro
Campo Grande, Mato Grosso do Sul

Dados Divulgados por
Academia Ilton Natação
(67) 3382-5820
r Br Melgaço, 168, Centro
Campo Grande, Mato Grosso do Sul

Dados Divulgados por
Academia Coliseum Ltda
(67) 3042-0579
r 7 Setembro, 912, Centro
Campo Grande, Mato Grosso do Sul

Dados Divulgados por
Academia R 3
(67) 3351-1674
av Cel Antonino, 1646, Vila Lucinda
Campo Grande, Mato Grosso do Sul

Dados Divulgados por
Stúdio Força e Saúde - Alexander Cappellari
(67) 3306-4503
Rua: Quintino Bocaiúva, 1339 Tv Morena
Campo Grande, Mato Grosso do Sul
 
Dados Divulgados por

Academia

Fornecido por: 

Os homens na faixa dos 30 anos que correm regularmente têm mais massa óssea e menos probabilidade de desenvolver osteoporose, doença que torna os ossos rarefeitos, de acordo com estudo norte-americano.  

Os homens que correm um mínimo de nove vezes em um mês desenvolvem uma densidade óssea no mínimo 5 por cento maior do que os que correm menos, e 8 por cento em relação aos que fazem pouco ou nenhum exercício.

A osteoporose uma doença caracterizada pela perda progressiva da densidade óssea, que ocorre quando o o organismo não é capaz de regular o conteúdo de minerais, como cálcio e fósforo, dos ossos. Além dos minerais, determinados hormônios e vitamina D ajudam a manter a densidade.

Os ossos são normalmente mais fortes em torno dos 30 anos de idade. A partir daí se enfraquece lentamente pelo resto da vida. Na osteoporose, os ossos ficam fracos e rarefeitos, resultando em fraturas que podem dificultar e encurtar a vida. Michael E. Mussolino, pesquisador do centro de estatísticas de saúde do escritório dos Centros para Controle e Prevenção de Doenças em Hyattesville, Maryland, é o principal autor do estudo publicado em American Journal of Public Health, da American Public Health Association.

O estudo abrangeu 4.254 homens, sendo 954 praticantes de corrida e 3.300 sedentários. Foram tirados raio-X de cada um dos participantes a fim de poder determinar a densidade óssea. Os pesquisadores compararam os resultados dos praticantes com os sedentários.

Mussolino disse que o estudo mostra que não é necessário correr uma maratona para construir ossos fortes, basta manter uma certa regularidade. O estudo não analisou os efeitos de outros tipos de exercício e não pode tirar conclusões sobre seus benefícios.

Osteoporose é mais comum nas mulheres após a menopausa, mas a doença não é incomum nos homens.

As autoridades estimam que cerca de 10 milhões de norte-americanos têm osteoporose e outros 18 milh...

Clique aqui para ler este artigo em Saude em Movimento

Termos e Condições | Política de Privacidade
Fonte do texto: Saúde em Movimento
Banco de dados de médicos e clínicas: Doctoralia
Obs.: Se seu nome aparece no nosso cadastro e deseja que o tiremos, favor entrar em contato com support@nsphere.net