Academia com Personal Trainer Campo Grande, Mato Grosso do Sul

Encontre academias com personal trainers em Campo Grande. Conheça os profissionais especializados desta área em sua região, aproveite e leia nossos artigos com tutoriais, dicas e informações relevantes sobre este assunto.

Academia Penelope
(67) 3326-3071
r Oceano Atlântico, 392, Chácara Cachoeira
Campo Grande, Mato Grosso do Sul

Dados Divulgados por
Academia Corpo Livre Ltda. - Me
(67) 3026-7087
av Alvorada, 159, Centro
Campo Grande, Mato Grosso do Sul

Dados Divulgados por
Acad César
(67) 3383-4575
r 13 Junho, 1870, Centro
Campo Grande, Mato Grosso do Sul

Dados Divulgados por
Academia M3 Ltda
(67) 3326-1793
av Mato Grosso, 3463, Residencial Ipanema
Campo Grande, Mato Grosso do Sul

Dados Divulgados por
Academia Campograndense de Raquetes
(67) 3326-3525
r Peixe Vivo, 101, Caranda Bosque
Campo Grande, Mato Grosso do Sul

Dados Divulgados por
Academia Boa Forma
(67) 3385-8976
r Panambi Vera, 514, São Pedro
Campo Grande, Mato Grosso do Sul

Dados Divulgados por
Academia R 3
(67) 3351-1674
av Cel Antonino, 1646, Vila Lucinda
Campo Grande, Mato Grosso do Sul

Dados Divulgados por
Academia Ilton Natação
(67) 3382-5820
r Br Melgaço, 168, Centro
Campo Grande, Mato Grosso do Sul

Dados Divulgados por
Academia Coliseum Ltda
(67) 3042-0579
r 7 Setembro, 912, Centro
Campo Grande, Mato Grosso do Sul

Dados Divulgados por
Academia Campograndense de Raquetes
(67) 3326-3525
r Peixe Vivo, 101, Caranda Bosque
Campo Grande, Mato Grosso do Sul

Dados Divulgados por
Dados Divulgados por

Academia com Personal Trainer

Fornecido por: 

O diabetes Mellitus caracteriza-se por uma menor produção do hormônio insulina, provocando aumento dos níveis de glicose sangüínea.

O diabetes diminui a capacidade do organismo de queimar o material energético ou glicose que ele retira dos alimentos para energia. A glicose é transportada pelo sangue para as células necessitam de insulina, que é produzida pelo pâncreas para permitir que a glicose se movimenta para o interior. Sem insulina, a glicose se acumula no sangue e é eliminada pela urina por meio dos rins (Nielman, 1999)

As causas podem ser as mais variadas tais como hereditariedade, obesidade, estresse, alimentação, gravidez, inatividade física, idade, etc…

A Organização Mundial de saúde classifica os indivíduos como diabéticos, quando os níveis de glicose no sangue estiverem acima dos 140mg/dl.

Os valores normais que devem ser mantidos sobre controle encontram-se entre 75 a 100 mg/dl. Dependendo do tipo de diabetes, seu tratamento inclui a administração de insulina exógena, agentes hipoglicêmicos por via oral, dietas e exercícios físicos (Guedes, 1995).

Tipos de Diabetes:

Diabetes Melito Tipo I

São também conhecidos como insulino dependentes, pois caracterizam-se por apresentarem um quadro de baixa dos níveis de insulina ou mesmo a inexistência da produção da mesma. Durante os exercícios, estes indivíduos respondem com um aumento nos níveis de glicose, ácido graxos e cetonas.

De acordo com POLLOCK (1993) “o diabetes do tipo I instala-se de forma mais rápida e é mais difícil de ser controlada e é tratada por meio de injeções de insulina.”

O tipo I acomete de 10 a 15 % dos diabéticos e tem sua maior incidência em indivíduos jovens (diabete juvenil). TEIXEIRA (1992) e POLLOCK (1993)

Diabetes Melito do tipo II

Freqüentemente denominado diabete melito não insulino dependente, é a diabete que secreta moléculas defeituosas de insulina que não são eficientes para fazer com que a glicose não entre na corrente sangüínea.

Segundo TEIXEIRA (1992), está associada à hereditariedade, dependendo, entretanto, de fatores como vida sedentária e maus hábitos alimentares. Tem sua maior incidência em indivíduos com mais de 40 anos de idade (diabete senil).

Para GUEDES (1998), aproximadamente 80 a 90 % dos diabéticos do tipo II apresentam sobrepeso ou são obesos. Em indivíduos com obesidade leve, o risco de surgimento de diabetes é 2,9 vezes maior que nos não obesos, 5 vezes no caso de obesidade moderada e 10 vezes no caso de obesidade elevada.

A diabetes do tipo II se instala, geralmente, de forma insidiosa, e resulta de uma produção reduzida de insulina pelo pâncreas ou de uma diminuição na sensibilidade dos receptores celulares à insulina. Ela é tratada inicialmente com dieta e exercícios, agentes hipoglicemiantes orais e, finalmente, para alguns indivíduos com injeç...

Clique aqui para ler este artigo em Saude em Movimento

Termos e Condições | Política de Privacidade
Fonte do texto: Saúde em Movimento
Banco de dados de médicos e clínicas: Doctoralia
Obs.: Se seu nome aparece no nosso cadastro e deseja que o tiremos, favor entrar em contato com support@nsphere.net