Câncer de próstata Macapá, Amapá

Dor aguda e aumento do volume podem indicar tumor nos testículos, o autor descreve os sintomas. Saiba como fazer o auto-exame dos testículos. Conheça também, quais são os fatores de risco dessa doença e a sua evolução. Consulte a lista de especialistas da área, em Macapá.

Helio Grott Fl
(96) 222-0563
r Santos Dumont, 500, Santa Rita
Macapá, Amapá
 
Eliana Dirce Torres Khoury
(96) 241-3164
psg Jovino Dinoa, 4126, Laguinho
Macapá, Amapá
 
Julia Maria S Voorham
(96) 223-9438
r Odilardo Silva, 2119, Laguinho
Macapá, Amapá
 
Arthur Torrinha
(96) 223-1355
av Mario Cruz, 14, Central
Macapá, Amapá
 
DR Heraldo Rodrigues Ribeiro
(96) 222-1660
tv Raimundo Alvares da Costa, 341, Santa Rita
Macapá, Amapá
 
Leonal Rubem Fernandes Garcia
(96) 222-1645
av José Antônio Siqueira, 752, Laguinho
Macapá, Amapá
 
Lions Clube Macapá Centro
(96) 222-4131
r Leopoldo Machado, 938, Jesus De Nazaré
Macapá, Amapá
 
Marluce Salomão Santána
(96) 224-2390
av Fab, 2415, Central
Macapá, Amapá
 
Madmacon Compensados
(96) 281-1480
r Salvador Diniz, 265
Macapá, Amapá
 
Zeneide A Souza
(96) 224-2425
av Pres Vargas, 1062
Macapá, Amapá
 

Câncer de próstata

Fornecido por: 

Dor aguda e aumento do volume pode indicar tumor nos testículos.

Considerado o mais raro entre os tumores malignos no homem, o câncer de testículo muitas vezes pode ser confundido com uma inflamação aguda. Atinge principalmente indivíduos jovens, sexualmente ativos e em plena idade reprodutiva. Apesar de ter uma rápida evolução, esse tipo de tumor apresenta elevado índice de cura, quando diagnosticado precocemente. 

Representando menos de 1% dos tumores que acometem os homens, os Tumores Germinativos do Testículo (TGT) têm maior incidência em indivíduos entre 15 e 35 anos, podendo ser confundidos com uma inflamação dos testículos e do epidídimo - canal que coleta e leva o esperma até a ejaculação. "Todo paciente jovem com manifestações escrotais, como aumento de volume recente e dor aguda, que não melhoram após dez dias de tratamento com antibióticos, deve ser reavaliado cuidadosamente e submetido a exame ultra-sonográfico para descartar a hipótese de tumor", explica Luciano Nesrallah, chefe do Setor de Tumores Urológicos da Disciplina de Urologia da Unifesp.

De acordo com o especialista, os mecanismos implicados no desenvolvimento da doença ainda são desconhecidos. Porém, ela é mais comum em homens com atrofia testicular e criptorquidia, uma falha na descida do testículo para o escroto durante o desenvolvimento fetal. O histórico familiar, a infecção por HIV e a ingestão materna de estrógenos no início da gestação também são fatores de risco para o desenvolvimento desse tipo de câncer. Por motivos desconhecidos, os TGT são cinco vezes mais raros em negros.

Nesrallah explica que, apesar de a doença ser agressiva e de rápida evolução, o câncer de testículo é, atualmente, considerado um dos tumores com maior índice de cura (cerca de 92%), pois responde muito bem à quimioterapia. "Por isso, é imprescindível o diagnóstico precoce e a intervenção rápida, com a retirada do testículo comprometido", afirma o urologista. "A extração de apenas um dos testículos não interfere na potência sexual masculina, um dos maiores medos desses pacientes. Quando é necessária a retirada de ambos, entretanto, é preciso, em 60% dos casos, estabelecer a reposição hormonal, devido a queixas de queda de libido".

Auto-exame

De acordo com o Instituto Nacional de Câncer (INCA), o exame físico dos testículos é uma maneira eficaz de detectar tumores e deve ser feito mensalmente, sempre após um banho quente, pois o calor relaxa o escroto e facilita a obser...

Clique aqui para ler este artigo em Saude em Movimento

Termos e Condições | Política de Privacidade
Fonte do texto: Saúde em Movimento
Banco de dados de médicos e clínicas: Doctoralia
Obs.: Se seu nome aparece no nosso cadastro e deseja que o tiremos, favor entrar em contato com support@nsphere.net