Centro de Acupuntura Barbacena, Minas Gerais

Encontre centro de acupuntura em Barbacena. Conheça os profissionais especializados desta área em sua região, aproveite e leia nossos artigos com tutoriais, dicas e informações relevantes sobre este assunto.

Terezinha de Oliveira Ribeiro
(32) 3332-1165
Barbacena, Minas Gerais
Especialidade
Patologia Clínica/Medicina Laboratorial

Dados Divulgados por
Gabriel Prata Resende
(34) 3318-9832
R. Governador Valadares 122
Uberaba, Minas Gerais
Especialidade
Medicina Nuclear

Dados Divulgados por
Jose Edelberto Sanches
323-2152
Av Rio Branco 2986 - Terreo
Juiz de Fora, Minas Gerais
Especialidade
Medicina do Trabalho

Dados Divulgados por
Marco Victor Hermeto
(31) 3283-9932
Av Contorno 4747 - Sala 1613/1614 Ed Lifecenter
Belo Horizonte, Minas Gerais
Especialidade
Medicina Intensiva

Dados Divulgados por
Maria Christina Matte Loyola
3261-4922
R Tome de Souza 860 - Sala 1308
Belo Horizonte, Minas Gerais
Especialidade
Patologia

Dados Divulgados por
Anatomia Patologica e Citologia Ltda
(31) 3482-8005
R. Gustavo Pena 44 - 7º Andar
Belo Horizonte, Minas Gerais
Especialidade
Patologia Clínica/Medicina Laboratorial

Dados Divulgados por
Marcio Luis de Souza Alves
(35) 3712-3000
Rua Paraiba 672
Pocos de Caldas, Minas Gerais
Especialidade
Medicina de Urgência

Dados Divulgados por
Eduardo F. Tavares
(32) 3241-6327
Av Rio Branco 2001 sala 1501
Juiz de Fora, Minas Gerais
Especialidade
Nutrologia

Dados Divulgados por
Analise Clinica Frota
3221-2122
Rua Santa Cruz 731
Varginha, Minas Gerais
Especialidade
Patologia Clínica/Medicina Laboratorial

Dados Divulgados por
Monica Maria Demas Alvares Cabral
3248-9750
Av Professor Alfredo Balena 190
Belo Horizonte, Minas Gerais
Especialidade
Patologia

Dados Divulgados por
Dados Divulgados por

Centro de Acupuntura

Fornecido por: 

Trinta minutos com agulhas espetadas pelo corpo. Aos olhos ocidentais, uma sessão de acupuntura pode parecer algo difícil de ser encarado. Mas, afora o medo da dor e a aflição de ver aqueles metais incrustados na pele, é inegável o crescimento do número de pessoas que buscam nesse tipo de tratamento a solução para os mais diversos problemas de saúde. Tão comum quanto as novas clínicas que proliferam pelo país prometendo milagres com a tradicional terapia chinesa e fazem com que os pacientes tenham atenção redobrada antes de se entregarem às agulhas. A acupuntura é uma técnica que auxilia no alívio à dor e na cura de lesões não-contínuas, mas tem limitações quando o assunto é o tratamento de doenças mais graves.

É provável que a acupuntura tenha surgido com a percepção de que o toque em determinadas partes do corpo, de forma instintiva, causava alívio em regiões doloridas. É o caso, por exemplo, de levar as mãos às têmporas quando se sente dor de cabeça. Ao longo de cinco mil anos, os chineses descobriram outros mil pontos de punção, e incorporaram à terapia o uso de agulhas que, inseridas na pele, proporcionavam o efeito desejado. A técnica difundiu-se pelo oriente, em países como Japão, Coréia e Vietnã, e hoje conquista cada vez mais adeptos também deste lado do planeta.

Por milênios, a acupuntura evoluiu baseada no suposto fator energético de seu princípio. Dos mil pontos identificados, 365 foram divididos em 14 grupos principais. Os pontos de um mesmo grupo são ligados por uma linha imaginária na superfície do corpo, mais conhecida como meridiano. Foram descritos doze meridianos principais, que controlam o pulmão, o coração, os intestinos grosso e delgado, o baço, a bexiga, além do estômago, da vesícula, do fígado e do chamado "triplo-aquecedor" (os três centros de energia do corpo: superior, médio e inferior). Além deles, dois meridianos centrais atravessam o corpo na parte frontal e pelas costas. De acordo com a medicina tradicional chinesa, as doenças seriam distúrbios na circulação da energia do corpo (Chi), que passa por essas linhas.

Somente na década de 50, a mística começou a ceder espaço para a ciência. É nos anos 70 que surgem as primeiras explicações científicas para os efeitos da acupuntura, quando se descobriu que a aplicação das agulhas aumenta o nível de endorfina no cérebro, substância ligada ao bem-estar e ao prazer. Hoje, sabe-se que, além da endorfina, outras substâncias (neurotransmissores) são produzidas pelo organismo quando os pontos são ativados. São essas substâncias que geram não só o efeito analgésico, mas também antiinflamatório, relaxante muscular, cicatrizante e antidepressivo leve.

"Essas substâncias são naturais e não causam disfunções no organismo. É diferente, por exemplo, do corticóide que as pessoas tomam por via oral", diz Hong Jin Pai, chefe da equipe de acupuntura do Centro de Dor do Hospital das Clínicas e professor do ...

Clique aqui para ler este artigo em Saude em Movimento

Termos e Condições | Política de Privacidade
Fonte do texto: Saúde em Movimento
Banco de dados de médicos e clínicas: Doctoralia
Obs.: Se seu nome aparece no nosso cadastro e deseja que o tiremos, favor entrar em contato com support@nsphere.net