Centro de Acupuntura Cabo Frio, Rio de Janeiro

Encontre centro de acupuntura em Cabo Frio. Conheça os profissionais especializados desta área em sua região, aproveite e leia nossos artigos com tutoriais, dicas e informações relevantes sobre este assunto.

Clara Rey
(21) 9239-8112
Am. Tamandaré 33 - 503
Rio de Janeiro, Rio de Janeiro
Especialidade
Medicina Preventiva e Social

Dados Divulgados por
Patrícia Ferreira Dalboni
(24) 3348-8888
Rua Quarenta 20 (sala 508)
Volta Redonda, Rio de Janeiro
Especialidade
Medicina Estetica

Dados Divulgados por
Vanderson Almeida Meirelles
(21) 7836-8466
Rau das Larangeiras 146
Rio de Janeiro, Rio de Janeiro
Especialidade
Medicina Intensiva

Dados Divulgados por
Sonia Cristina Moreira Borges
(21) 2610-0674
Rua Gavião Peixoto 148 - Sala 601
Niteroi, Rio de Janeiro
Especialidade
Patologia Clínica/Medicina Laboratorial

Dados Divulgados por
Bronstein Med Diag Botafogo
(21) 2227-8080
Av Presidente Kennedy 1189 - Lj C
Duque de Caxias, Rio de Janeiro
Especialidade
Genética Médica

Dados Divulgados por
Jacob Sessim Analises Medicas
(21) 2667-8065
Rua Heraldo Sales de Abreu 40
Nova Iguacu, Rio de Janeiro
Especialidade
Patologia Clínica/Medicina Laboratorial

Dados Divulgados por
Paulo Soares de Azevedo
(21) 2205-7223
Rua Barão do Flamengo 21 - 701
Rio de Janeiro, Rio de Janeiro
Especialidade
Medicina do Trabalho

Dados Divulgados por
Juliano Victor Albuquerque Luna
(21) 2295-3449
Av Venceslau Bras 71 - Fundos
Rio de Janeiro, Rio de Janeiro
Especialidade
Medicina Intensiva

Dados Divulgados por
Marlene Couto Campos
2196-0333
R. Cd. de Bonfim 255 - 703
Rio de Janeiro, Rio de Janeiro
Especialidade
Nutrologia

Dados Divulgados por
Jose Antonio Abi Ramia
(21) 2189-9191
Rua Domingues de Sa 410 - Hospital
Niteroi, Rio de Janeiro
Especialidade
Nutrologia

Dados Divulgados por
Dados Divulgados por

Centro de Acupuntura

Fornecido por: 

Trinta minutos com agulhas espetadas pelo corpo. Aos olhos ocidentais, uma sessão de acupuntura pode parecer algo difícil de ser encarado. Mas, afora o medo da dor e a aflição de ver aqueles metais incrustados na pele, é inegável o crescimento do número de pessoas que buscam nesse tipo de tratamento a solução para os mais diversos problemas de saúde. Tão comum quanto as novas clínicas que proliferam pelo país prometendo milagres com a tradicional terapia chinesa e fazem com que os pacientes tenham atenção redobrada antes de se entregarem às agulhas. A acupuntura é uma técnica que auxilia no alívio à dor e na cura de lesões não-contínuas, mas tem limitações quando o assunto é o tratamento de doenças mais graves.

É provável que a acupuntura tenha surgido com a percepção de que o toque em determinadas partes do corpo, de forma instintiva, causava alívio em regiões doloridas. É o caso, por exemplo, de levar as mãos às têmporas quando se sente dor de cabeça. Ao longo de cinco mil anos, os chineses descobriram outros mil pontos de punção, e incorporaram à terapia o uso de agulhas que, inseridas na pele, proporcionavam o efeito desejado. A técnica difundiu-se pelo oriente, em países como Japão, Coréia e Vietnã, e hoje conquista cada vez mais adeptos também deste lado do planeta.

Por milênios, a acupuntura evoluiu baseada no suposto fator energético de seu princípio. Dos mil pontos identificados, 365 foram divididos em 14 grupos principais. Os pontos de um mesmo grupo são ligados por uma linha imaginária na superfície do corpo, mais conhecida como meridiano. Foram descritos doze meridianos principais, que controlam o pulmão, o coração, os intestinos grosso e delgado, o baço, a bexiga, além do estômago, da vesícula, do fígado e do chamado "triplo-aquecedor" (os três centros de energia do corpo: superior, médio e inferior). Além deles, dois meridianos centrais atravessam o corpo na parte frontal e pelas costas. De acordo com a medicina tradicional chinesa, as doenças seriam distúrbios na circulação da energia do corpo (Chi), que passa por essas linhas.

Somente na década de 50, a mística começou a ceder espaço para a ciência. É nos anos 70 que surgem as primeiras explicações científicas para os efeitos da acupuntura, quando se descobriu que a aplicação das agulhas aumenta o nível de endorfina no cérebro, substância ligada ao bem-estar e ao prazer. Hoje, sabe-se que, além da endorfina, outras substâncias (neurotransmissores) são produzidas pelo organismo quando os pontos são ativados. São essas substâncias que geram não só o efeito analgésico, mas também antiinflamatório, relaxante muscular, cicatrizante e antidepressivo leve.

"Essas substâncias são naturais e não causam disfunções no organismo. É diferente, por exemplo, do corticóide que as pessoas tomam por via oral", diz Hong Jin Pai, chefe da equipe de acupuntura do Centro de Dor do Hospital das Clínicas e professor do ...

Clique aqui para ler este artigo em Saude em Movimento

Termos e Condições | Política de Privacidade
Fonte do texto: Saúde em Movimento
Banco de dados de médicos e clínicas: Doctoralia
Obs.: Se seu nome aparece no nosso cadastro e deseja que o tiremos, favor entrar em contato com support@nsphere.net