Clínica Dentária Cuiabá, Mato Grosso

Encontre cl´nica dentária em Cuiabá. Conheça os profissionais especializados desta área em sua região, aproveite e leia nossos artigos com tutoriais, dicas e informações relevantes sobre este assunto.

Hamilton França
(61) 3345-7913
SHLS Cj B s/n bl F s 510
Cuiaba, Mato Grosso
Especialidade
Odontologia

Dados Divulgados por
Marcos Rogério Fonseca
(37) 3321-1412
Rua João Domingos Fonseca 138
Cuiaba, Mato Grosso
Especialidade
Odontologia

Dados Divulgados por
João Henrique Marques Guarino
(63) 3602-2132
Av Mal Castelo Branco Q 22 1195 lt 9
Cuiaba, Mato Grosso
Especialidade
Odontologia

Dados Divulgados por
João Bosco Lemos
(34) 3661-4714
Rua D José Gaspar 225 s 203
Cuiaba, Mato Grosso
Especialidade
Odontologia

Dados Divulgados por
João Lins Costa
(51) 3226-2583
Rua Vig José Inácio 566 ap 708
Cuiaba, Mato Grosso
Especialidade
Odontologia

Dados Divulgados por
Josélio Pinto Barbosa Furtado
(33) 3344-1833
Av Natal Rodrigues Pereira 348 sl 2
Cuiaba, Mato Grosso
Especialidade
Odontologia

Dados Divulgados por
Hugo A Castro
(31) 3213-6965
Av Álvares Cabral 374 s 1702
Cuiaba, Mato Grosso
Especialidade
Odontologia

Dados Divulgados por
Sérgio Ricardo Florentino de Souza
Rua Cap Manoel Miranda 777
Cuiaba, Mato Grosso
Especialidade
Odontologia

Dados Divulgados por
Haroldo Barbosa Bastos Filho
(22) 3824-3595
Av Cardoso Moreira 322 s 306
Cuiaba, Mato Grosso
Especialidade
Odontologia

Dados Divulgados por
Sebastião A Souza
(31) 3271-9480
Rua Carijós 424 s 1006
Cuiaba, Mato Grosso
Especialidade
Odontologia

Dados Divulgados por
Dados Divulgados por

Clínica Dentária

Fornecido por: 

Pesquisa inédita na odontologia mundial, desenvolvida na Faculdade de Odontologia de Bauru (FOB) da USP, comprova que o cimento Portland, largamente utilizado na construção civil, poderá revolucionar o tratamento endodôntico (tratamento de canal). O trabalho da dentista Ana Paula Camolese Fornetti aponta que o produto mostrou-se eficaz no tratamento da polpa dentária (nervo) em crianças com dentes de leite, com vantagens terapêuticas e financeiras. Os resultados do estudo serão divulgados em uma entrevista coletiva nesta quinta-feira (29), na FOB, em Bauru (interior de São Paulo).

Apesar dos resultados, a adoção do material dependerá de novas pesquisas, tanto em dentes decíduos (de leite), quanto permanentes. O estudo faz parte do projeto de Mestrado de Ana Paula, desenvolvido na disciplina de Odontopediatria do Departamento de Odontopediatria, Ortodontia e Saúde Coletiva da FOB. Segundo a dentista, o cimento Portland poderá substituir os dois principais produtos existentes no mercado para tratamento endodôntico, o formocresol e o MTA (agregado trióxido mineral). "A vantagem com relação ao primeiro é que o cimento é biologicamente compatível com os tecidos dentários", diz a dentista, "e com o segundo, é o preço, pois o MTA tem um custo muito elevado".

Foram avaliadas 68 crianças entre 5 e 9 anos de idade. "Além da redução de custos, o cimento traz a vantagem da biocompatibilidade, ou seja, o organismo aceita naturalmente o material, o que não acontece com o formocresol de Bukcley, substância introduzida em 1904 e mundialmente utilizada até hoje", conta a dentista. "Pesquisadores do mundo inteiro buscam alternativas capazes de unir ganhos terapêuticos e econômicos para esse tipo de tratamento", diz Ana Paula.

O cimento não traz conseqüências carcinogênicas (relacionadas ao câncer) e nem é tóxico. "Quanto ao formocresol, mesmo apresentando resultados satisfatórios, não há unanimidade na comunidade científica quanto aos seus efeitos colaterais", compara a dentista. "Já o MTA é biocompativel, porém tem um preço elevado em comparação aos seus concorrentes". Um grama do produto custa R$ 210,00, enquanto o valor médio de um quilo de cimento nas lojas de construção é de R$ 0,30. Um frasco de 20 ml de formocresol custa R$ 4,40.

Bactericida

De acordo com o professor da FOB, Ruy César Camargo Abdo, orientador da pesquisa, os resultados obtidos com o cimento Portland são semelhantes aos apresentados pelo MTA, sob o ponto de vista terapêutico. "A única diferença é que no MTA é acrescido o óxido de bismuto, uma substância radiopaca que permite visibilidade radiográfica, mas que não apresenta nenhuma função terapêutica", explica. "O cimento de construção é feito basicamente de calcário, não traz toxidade neste tipo de utilização e é bactericida por natureza, uma vez que possui um pH altamente alcalino". O produto utilizado na pesquisa foi esterilizado.

O estud...

Clique aqui para ler este artigo em Saude em Movimento

Termos e Condições | Política de Privacidade
Fonte do texto: Saúde em Movimento
Banco de dados de médicos e clínicas: Doctoralia
Obs.: Se seu nome aparece no nosso cadastro e deseja que o tiremos, favor entrar em contato com support@nsphere.net