Clínica Dentária São Leopoldo, Rio Grande do Sul

Encontre cl´nica dentária em São Leopoldo. Conheça os profissionais especializados desta área em sua região, aproveite e leia nossos artigos com tutoriais, dicas e informações relevantes sobre este assunto.

Débora Martins Eiras Antunes
(24) 2242-5556
Rua Imperador 288 s 1003
Concordia, Santa Catarina
Especialidade
Odontologia

Dados Divulgados por
Régis Eduardo Possani
(54) 3232-0940
Rua Ramiro Barcelos 781 sl 2
Concordia, Santa Catarina
Especialidade
Odontologia

Dados Divulgados por
Amara Eulália Chagas Santos
(21) 2667-0233
Tv Irene 101 s 106
Sao Leopoldo, Rio Grande do Sul
Especialidade
Odontologia

Dados Divulgados por
Vera Cristina Curi
(21) 2432-9724
Av das Américas 7707 bl 1 sl 219
Concordia, Santa Catarina
Especialidade
Odontologia

Dados Divulgados por
Rodrigo Santos Diniz Júnior
(21) 2254-9392
Rua Gal Roca 778 s 704
Sao Leopoldo, Rio Grande do Sul
Especialidade
Odontologia

Dados Divulgados por
Lourival Matos Aroucha
Av Jerônimo Albuquerque 18
Concordia, Santa Catarina
Especialidade
Odontologia

Dados Divulgados por
Cláudia da Silva Emílio
(21) 2658-0023
Est Iguaçu 350 s 103
Sao Leopoldo, Rio Grande do Sul
Especialidade
Odontologia

Dados Divulgados por
Soraya de Assunção Ribeiro da Costa
(91) 3257-0894
Rua Recife 72
Sao Leopoldo, Rio Grande do Sul
Especialidade
Odontologia

Dados Divulgados por
Ramon Gomes Rocha
(31) 3848-3238
Al 31 de Outubro 2
Concordia, Santa Catarina
Especialidade
Odontologia

Dados Divulgados por
Marco A M Maia
(71) 3235-7561
Av Anita Garibaldi 1133 s 501
Concordia, Santa Catarina
Especialidade
Odontologia

Dados Divulgados por
Dados Divulgados por

Clínica Dentária

Fornecido por: 

Pesquisa inédita na odontologia mundial, desenvolvida na Faculdade de Odontologia de Bauru (FOB) da USP, comprova que o cimento Portland, largamente utilizado na construção civil, poderá revolucionar o tratamento endodôntico (tratamento de canal). O trabalho da dentista Ana Paula Camolese Fornetti aponta que o produto mostrou-se eficaz no tratamento da polpa dentária (nervo) em crianças com dentes de leite, com vantagens terapêuticas e financeiras. Os resultados do estudo serão divulgados em uma entrevista coletiva nesta quinta-feira (29), na FOB, em Bauru (interior de São Paulo).

Apesar dos resultados, a adoção do material dependerá de novas pesquisas, tanto em dentes decíduos (de leite), quanto permanentes. O estudo faz parte do projeto de Mestrado de Ana Paula, desenvolvido na disciplina de Odontopediatria do Departamento de Odontopediatria, Ortodontia e Saúde Coletiva da FOB. Segundo a dentista, o cimento Portland poderá substituir os dois principais produtos existentes no mercado para tratamento endodôntico, o formocresol e o MTA (agregado trióxido mineral). "A vantagem com relação ao primeiro é que o cimento é biologicamente compatível com os tecidos dentários", diz a dentista, "e com o segundo, é o preço, pois o MTA tem um custo muito elevado".

Foram avaliadas 68 crianças entre 5 e 9 anos de idade. "Além da redução de custos, o cimento traz a vantagem da biocompatibilidade, ou seja, o organismo aceita naturalmente o material, o que não acontece com o formocresol de Bukcley, substância introduzida em 1904 e mundialmente utilizada até hoje", conta a dentista. "Pesquisadores do mundo inteiro buscam alternativas capazes de unir ganhos terapêuticos e econômicos para esse tipo de tratamento", diz Ana Paula.

O cimento não traz conseqüências carcinogênicas (relacionadas ao câncer) e nem é tóxico. "Quanto ao formocresol, mesmo apresentando resultados satisfatórios, não há unanimidade na comunidade científica quanto aos seus efeitos colaterais", compara a dentista. "Já o MTA é biocompativel, porém tem um preço elevado em comparação aos seus concorrentes". Um grama do produto custa R$ 210,00, enquanto o valor médio de um quilo de cimento nas lojas de construção é de R$ 0,30. Um frasco de 20 ml de formocresol custa R$ 4,40.

Bactericida

De acordo com o professor da FOB, Ruy César Camargo Abdo, orientador da pesquisa, os resultados obtidos com o cimento Portland são semelhantes aos apresentados pelo MTA, sob o ponto de vista terapêutico. "A única diferença é que no MTA é acrescido o óxido de bismuto, uma substância radiopaca que permite visibilidade radiográfica, mas que não apresenta nenhuma função terapêutica", explica. "O cimento de construção é feito basicamente de calcário, não traz toxidade neste tipo de utilização e é bactericida por natureza, uma vez que possui um pH altamente alcalino". O produto utilizado na pesquisa foi esterilizado.

O estud...

Clique aqui para ler este artigo em Saude em Movimento

Termos e Condições | Política de Privacidade
Fonte do texto: Saúde em Movimento
Banco de dados de médicos e clínicas: Doctoralia
Obs.: Se seu nome aparece no nosso cadastro e deseja que o tiremos, favor entrar em contato com support@nsphere.net