Clínica de Fisiologia Balneário Camboriú, Santa Catarina

Encontre clínica de fisiologia em Balneário Camboriú. Conheça os profissionais especializados desta área em sua região, aproveite e leia nossos artigos com tutoriais, dicas e informações relevantes sobre este assunto.

Daniela Longhi de Castro
(47) 3366-0334
Avenida Alvin Bauer 810 - 1° Andar
Balneario Camboriu, Santa Catarina
Especialidade
Medicina de Família e Comunidade

Dados Divulgados por
Roberto da Costa Telles Ferreira
(48) 3228-9349
R.Ernesto Stodieck 307 - -
Florianopolis, Santa Catarina
Especialidade
Administração em Saúde

Dados Divulgados por
Maria Beatriz Cacese Shiozawa
3224-1888
Rua Dom Jaime Camara 77 - 601
Florianopolis, Santa Catarina
Especialidade
Patologia

Dados Divulgados por
Zulmar Vieira Coutinho
3223-1317
Rua Jose Boiteux 34
Florianopolis, Santa Catarina
Especialidade
Patologia Clínica/Medicina Laboratorial

Dados Divulgados por
Marco Antonio Martins
(47) 3432-2670
Rua Tenente Paulo Lopes 200
Joinville, Santa Catarina
Especialidade
Nutrologia

Dados Divulgados por
Glauber Mathias
(47) 3349-3892
Rua Dr. Reinaldo Schmithausen 1178 (sl 11)
Itajai, Santa Catarina
Especialidade
Cirurgia Cranio-Maxilo-Facial

Dados Divulgados por
Hemos Medicina Laboratorial Avancada
(47) 3041-9919
Alameda Rio Branco 680
Blumenau, Santa Catarina
Especialidade
Patologia Clínica/Medicina Laboratorial

Dados Divulgados por
Ires Hamyra Bezerra Massaut
322-4500
Av Rio Branco 633
Florianopolis, Santa Catarina
Especialidade
Medicina Intensiva

Dados Divulgados por
Mariuccia Grace Scott Brusa
3224-1888
Rua Dom Jaime Camara 77 - 601
Florianopolis, Santa Catarina
Especialidade
Patologia

Dados Divulgados por
Fabio Figueiredo Ribeiro
322-2800
Rua Prof Herminio Jacques 166
Florianopolis, Santa Catarina
Especialidade
Medicina Nuclear

Dados Divulgados por
Dados Divulgados por

Clínica de Fisiologia

Fornecido por: 

Pesquisa de doutorado realizada pelo biólogo Alexandre César Santos de Rezende, do Departamento de Fisiologia e Biofísica do Instituto de Biologia (IB) da Unicamp, concluiu que a droga TAT-CNTF possui um potencial muito grande para uso em tratamento de doenças neurodegenerativas que afetam motoneurônios, neurônios sensitivos e neurotraumas. A principal vantagem dessa droga alternativa, produzida a partir da combinação entre o fator neurotrófico ciliar (CNTF) e uma sequência de aminoácidos extraídos de uma proteína do vírus HIV-1, está associada à não-ocorrência dos efeitos colaterais que foram verificados durante tratamento apenas com o CNTF.

Ainda que a utilização de ambas as drogas seja eficaz na sobrevivência neuronal, ficou provado que o CNTF – já ministrado em pacientes no tratamento da esclerose lateral amiotrófica – causa anorexia e caquexia, o que significa uma perda significativa de gordura no corpo, tanto em testes feitos com animais como em tratamento de seres humanos. Já a TAT-CNTF funcionou como um fator neurotrófico, ou seja, uma substância protetora sem os efeitos colaterais do CNTF. A pesquisa, realizada com animais de laboratório recém-nascidos, com dois dias de vida, abre grandes perspectivas para o combate de doenças como Parkinson, esclerose lateral amiotrófica e esclerose múltipla.

Desenvolvida em 2001 pelo pro­fessor Alessandro Negro, da Universidade de Pádua (Itália), a droga nunca havia sido testada nessas condições. “A sequência TAT é um domínio de translocação de proteína, o qual permite que a proteína ligada a ele atravesse membranas biológicas”, explicou Rezende. Isso foi observado por Negro durante experimento utilizando cultura de células ovarianas de hamster, tratadas com a TAT-CNTF. Quando ele realizou a análise imunoistoquímica – exames laboratoriais capazes de detectar alterações moleculares –, para ver a localização intracelular, percebeu que a TAT estava no núcleo dessas células, levando consigo o CNTF. Ela foi oferecida para testes ao orientador de Rezende, professor Francesco Langone, falecido em maio passado.

Os primeiros resultados foram obtidos ainda durante o trabalho de mestrado, no início de 2003. A secção do nervo ciático de ratos com dois dias de vida provoca a morte de um número considerável de motoneurônios da região lombar da medula espinal. Trata-se, segundo Rezende, de um excelente modelo de lesão, capaz de verificar se o tratamento com um fator pro...

Clique aqui para ler este artigo em Saude em Movimento

Termos e Condições | Política de Privacidade
Fonte do texto: Saúde em Movimento
Banco de dados de médicos e clínicas: Doctoralia
Obs.: Se seu nome aparece no nosso cadastro e deseja que o tiremos, favor entrar em contato com support@nsphere.net