Clínica de Oncologia Mossoró, Rio Grande do Norte

Encontre clínicas de oncologia em Mossoró. Conheça os profissionais especializados desta área em sua região, aproveite e leia nossos artigos com tutoriais, dicas e informações relevantes sobre este assunto.

Leonardo Davinci Lima Nogueira
(84) 3317-6212
R. Dionisio Filgueira 117 - (Cl Ginecologi
Mossoró, Rio Grande do Norte
Especialidade
Patologia

Dados Divulgados por
Denise Xavier Silveira Martins
(84) 3202-3355
Rua Joaquim Manoel 717 - S-215
Natal, Rio Grande do Norte
Especialidade
Patologia Clínica/Medicina Laboratorial

Dados Divulgados por
Wilna Krepke Leiros Dias
(84) 3211-4393
Rua Mipibu 657
Natal, Rio Grande do Norte
Especialidade
Patologia Clínica/Medicina Laboratorial

Dados Divulgados por
Amos Oliveira de Assis
(84) 3220-6317
Rua Mipibu 511
Natal, Rio Grande do Norte
Especialidade
Medicina do Trabalho

Dados Divulgados por
Maria Elaine F. de Farias
(84) 3211-9333
Av. Campos Sales 782
Natal, Rio Grande do Norte
Especialidade
Patologia Clínica/Medicina Laboratorial

Dados Divulgados por
Nubia Eleonora D de Medeiros
(84) 3212-1222
Av. Campos Sales 847
Natal, Rio Grande do Norte
Especialidade
Patologia Clínica/Medicina Laboratorial

Dados Divulgados por
Simone Bezerra R C Rodrigues
(84) 3206-6000
Rua Norton Farias 1440
Natal, Rio Grande do Norte
Especialidade
Patologia Clínica/Medicina Laboratorial

Dados Divulgados por
Reginaldo Jose da Silva
(84) 3220-6317
Rua Mipibu 511
Natal, Rio Grande do Norte
Especialidade
Medicina do Trabalho

Dados Divulgados por
Leonardo Davinci Lima Nogueira
(84) 3317-6212
R. Dionisio Filgueira 117 - (Cl Ginecologi
Mossoró, Rio Grande do Norte
Especialidade
Patologia

Dados Divulgados por
Maria do Socorro S.G. da Silva
(84) 3222-3508
Rua Potengi 467
Natal, Rio Grande do Norte
Especialidade
Patologia Clínica/Medicina Laboratorial

Dados Divulgados por
Dados Divulgados por

Clínica de Oncologia

Fornecido por: 

Hoje o País responde por aproximadamente 2% dos artigos publicados, segundo dados da Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior – CAPES. Acompanhando essa tendência, está concluído o segundo maior Estudo Brasileiro sobre o Tratamento de Tumores Cerebrais Múltimplos, os meningiomas. Trata-se do trabalho da equipe médica do neurocirurgião Dr. José Carlos Lynch, Chefe no Setor de Neurocirurgia do HSE do Rio, realizado nos últimos 22 (vinte e dois) anos, em 7 (sete) pacientes entre  42 e 54 anos. O resultado retrospectivo do Estudo apresentou uma boa sobrevida dos pacientes tratados, tanto na rede pública de saúde como em hospital particular.

Uma nova tecnologia de ponta auxiliou nos resultados positivos do tratamento cirúrgico do meningioma intracraniano. Durante a realização do Estudo Brasileiro, a equipe do Dr. Lynch, composta pelos médicos Renata Cardoso Schulz e Leandro Alcy Sales Ferreira, pôde fazer o uso de um aparelho de neuronavegação, que permite a orientação intra-operatória tornando os procedimentos menos invasivos. “Os meningiomas são tumores mais freqüentes do sistema nervoso central, constituindo entre 13 e 18% dos casos, o que requer especialização e recursos de equipamentos cirúrgicos de última geração, informa o Dr. Lynch. Os navegadores cirúrgicos permitem identificar de forma precisa um ponto por meio da triangulação, reduzindo a invasão e custos, na medida em que a recuperação e a alta hospitalar ocorrem em menor tempo.

Radioterapia e progesterona no aumento de casos

De acordo com o neurocirurgião José Carlos Lynch, o Estudo Brasileiro sobre o Tratamento de Tumores Cerebrais Múltimplos revelou ainda haver indução de tumores desse tipo após o emprego de radioterapia, fato considerado relevante para o uso criterioso desse tipo de terapia.  Outro relato importante durante o Estudo é sobre a ação da progesterona sobre os seus receptores, presente em 80% dos mengiomas, demonstrando uma maior proporção do surgimento desse tipo de tumor no sexo feminino, em mulheres férteis e gestantes. “Cada tumor deve ser avaliado individualmente. Um pequeno meningioma sem sintomas e sem edema cerebral deve ser acompanhado com exames de imagem a cada 6 ou 12 meses, principalmente se o paciente tiver mais de 65 anos. A cirurgia deve somente ser indicada nos casos em que  ocorram expansão tumoral, surgiment...

Clique aqui para ler este artigo em Saude em Movimento

Termos e Condições | Política de Privacidade
Fonte do texto: Saúde em Movimento
Banco de dados de médicos e clínicas: Doctoralia
Obs.: Se seu nome aparece no nosso cadastro e deseja que o tiremos, favor entrar em contato com support@nsphere.net