Clínica de Patologia Bucal Campo Grande, Mato Grosso do Sul

Encontre clínica de patologia bucal em Campo Grande. Conheça os profissionais especializados desta área em sua região, aproveite e leia nossos artigos com tutoriais, dicas e informações relevantes sobre este assunto.

Luciano Meyer Grazziotin
(54) 3293-2843
Rua Francisco Marcantonio 13
Campo Grande, Mato Grosso do Sul
Especialidade
Odontologia

Dados Divulgados por
Sérgio Mauro Bilmis Palhares
(21) 2522-6589
Rua Visc de Pirajá 330 s 1213
Campo Grande, Mato Grosso do Sul
Especialidade
Odontologia

Dados Divulgados por
João Antônio Cardoso
(42) 3272-1931
Rua Leônidas Garcia Rodrigues 92
Campo Grande, Mato Grosso do Sul
Especialidade
Odontologia

Dados Divulgados por
Henrique Rosetti Filho
(21) 2255-5347
Rua Barata Ribeiro 391 s 903
Campo Grande, Mato Grosso do Sul
Especialidade
Odontologia

Dados Divulgados por
Marcos Jaime Ferreira
(31) 3714-4549
Rua Quintino Moreira 328
Campo Grande, Mato Grosso do Sul
Especialidade
Odontologia

Dados Divulgados por
Ítalo Pedro Borges Auler
(51) 3772-2404
Av Getúlio Vargas 611
Campo Grande, Mato Grosso do Sul
Especialidade
Odontologia

Dados Divulgados por
Giovani David Emmer
(51) 3709-0009
Rua Fialho Vargas 320 sl 502
Campo Grande, Mato Grosso do Sul
Especialidade
Odontologia

Dados Divulgados por
Mário Alberto Cauduro Achutti
(55) 3221-1352
Rua Venâncio Aires 1795 ap 81
Campo Grande, Mato Grosso do Sul
Especialidade
Odontologia

Dados Divulgados por
Maury Batista Fabrício
(55) 3224-1152
Rua Francisco Guerino 230
Campo Grande, Mato Grosso do Sul
Especialidade
Odontologia

Dados Divulgados por
Wanderley César Júnior
(44) 3262-1381
Av Humaitá 890
Campo Grande, Mato Grosso do Sul
Especialidade
Odontologia

Dados Divulgados por
Dados Divulgados por

Clínica de Patologia Bucal

Fornecido por: 

Pesquisa coordenada pela bióloga Marta Cristina Teixeira Duarte, da Divisão de Microbiologia do Centro Pluridisciplinar de Pesquisas Químicas, Biológicas e Agrícolas (CPQBA) da Unicamp, busca novos medicamentos a partir de plantas medicinais, para tratamento de infecções da boca. Intitulado "Efeito inibitório do óleo essencial e do extrato etanólico de plantas medicinais sobre linhagens de Candida albicans isoladas da cavidade oral de pacientes com doença periodontal", o trabalho, de acordo com Marta, tem o propósito de estudar a atividade antimicrobiana desses óleos essenciais e também dos extratos de plantas medicinais contra isolados clínicos da levedura C. albicans. "Paralelamente serão também investigados possíveis mecanismos de ação dos compostos sobre as células da levedura", afirma a pesquisadora.

Marta explica que leveduras do gênero Candida fazem parte da microrregião da cavidade bucal e são comumente considerados microrganismos inofensivos. Entretanto, sob circunstâncias especiais, podem agir como oportunistas produzindo infecções superficiais das mucosas, até infecções mais graves, ou participando também nas doenças periodontal e cárie.

A bióloga revela que estudos recentes indicam uma crescente resistência de isolados da levedura C. albicans da cavidade oral para a maioria dos antifúngicos conhecidos. Isso segundo ela, é conseqüência do emprego dessas drogas no tratamento de candidose oral, principalmente após o surgimento da Aids. A resistência de patógenos humanos a múltiplas drogas é bem conhecida atualmente, e mostra a necessidade da busca de substâncias antimicrobianas a partir de novas fontes, incluindo plantas utilizadas na medicina popular, por apresentarem grande variedade de compostos com propriedades terapêuticas.

Metodologia

Um total de 10 isolados clínicos da levedura C. albicans foram cedidas pelo professor José Francisco Höfling, do Departamento de Biologia Buco Dental, da área de Microbiologia e Imunologia da Faculdade de Odontologia de Piracicaba (FOP) da Unicamp, e escolhidas aleatoriamente a partir de um total de 160 isolados. O isolamento foi feito a partir de amostras coletadas de bolsa periodontal de pacientes da Clínica de Graduação da FOP, sob autorização do Comitê de Ética em Pesquisa, como parte da dissertação de mestrado da aluna Vivian Furletti, co-orientada de Marta Duarte.

Para estudo da atividade antimicrobiana foram escolhidas 30 espécies de plantas medicinais e/ou aromáticas pertencentes à coleção de germoplasmas do CPQBA, sendo espécies adaptadas à nossa região, cujos gêneros apresentaram atividade anti-Candida em trabalhos recentes da literatura. Estão sendo testados óleos essenciais e extratos etanólicos das plantas, sendo determinada a concentração mínima inibitória (MIC) através de ensaios in vitro.

Até o momento foi possível selecionar o óleo essencial de pelo menos duas espécies potenciais pertencente...

Clique aqui para ler este artigo em Saude em Movimento

Termos e Condições | Política de Privacidade
Fonte do texto: Saúde em Movimento
Banco de dados de médicos e clínicas: Doctoralia
Obs.: Se seu nome aparece no nosso cadastro e deseja que o tiremos, favor entrar em contato com support@nsphere.net