Clínica de Psiquiatria Vitória, Espírito Santo

Encontre clínicas de psiquiatria em Vitória. Conheça os profissionais especializados desta área em sua região, aproveite e leia nossos artigos com tutoriais, dicas e informações relevantes sobre este assunto.

S.p.d. Sartre Psicologia e Desenvolvimento Ltda
(27) 3227-8069
r Neves Armond, 140, Sl 301, Pr do Suá
Vitória, Espírito Santo

Dados Divulgados por
Clinica Mentalmed Ltda
(27) 3327-0695
av Jerônimo Monteiro, 490, Sl 509, Centro
Vitória, Espírito Santo

Dados Divulgados por
Cecamp-Centro Capixaba de Medicina e Psicologia
(27) 3325-8243
av Mal Mascarenhas Moraes, 2542, Bento Ferreira
Vitória, Espírito Santo

Dados Divulgados por
Clipsi Clinica Psicologica Ltda
(27) 3324-0183
av Carlos Moreira Lima, 404, Sl 7, Bento Ferreira
Vitória, Espírito Santo

Dados Divulgados por
Feghali & Cariello Ltda
(27) 3225-2859
av Carlos Moreira Lima, 404, Sl 3, Bento Ferreira
Vitória, Espírito Santo

Dados Divulgados por
CIPA-Centro Intensivo de Psicologia Aplicada
(27) 3345-5757
rod Serafim Derenzy, 11151
Vitória, Espírito Santo

Dados Divulgados por
Anthropos Clinica de Psicologia Ltda
(27) 3345-7014
av Penha,N S, 595, Tor 2 Sl 704, Pr do Canto
Vitória, Espírito Santo

Dados Divulgados por
Isabela Sarbenberg
(27) 3324-9077
r Misael Pedreira da Silva, 98, An 9 Sl 906, Pr do Suá
Vitória, Espírito Santo

Dados Divulgados por
Crescent-centro de Estudos e Terapia de Familia S/s Ltda
(27) 3327-4304
av Rosendo Serapião de Souza Filho, 691, Sl 17, República
Vitória, Espírito Santo

Dados Divulgados por
Claudia Araújo Calil
(27) 3345-2559
r José Alexandre Buaiz, 190, An 11 Sl 1103, Enseada do Suá
Vitória, Espírito Santo

Dados Divulgados por
Dados Divulgados por

Clínica de Psiquiatria

Fornecido por: 

A depressão no idoso pode indicar um risco aumentado de desenvolvimento de demência, quando feita a comparação com idosos não deprimidos. Esta afirmação é do Prof. Dr. Paulo Bertolucci, diretor do Núcleo de Envelhecimento Cerebral e Chefe do Setor de Neurologia do Comportamento da Universidade Federal de São Paulo - Unifesp, que alerta para a importância do tratamento dos sintomas depressivos em pacientes que apresentam demência, principalmente causada pela doença de Alzheimer.

A demência é definida por um conjunto de alterações cognitivas, uma das quais obrigatoriamente é a perda da memória, podendo ser acompanhada por alterações do comportamento e pela perda de habilidades. Segundo estudo publicado na revista Archives of Neurology, a depressão é um dos sintomas mais freqüentes nas demências, atingindo mais de 40% dos pacientes com doença de Alzheimer, mais de 50% dos pacientes com demências vasculares e mais ainda nos pacientes com a demência da doença de Parkinson. O Prof. Dr. Paulo Bertolucci explica que a depressão, além de ser uma das causas de alteração do comportamento dos pacientes com demência, como agitação, agressividade, delírios e alucinações, traz mais dependência e maior desgaste para o cuidador.

Segundo o médico, a depressão nos idosos é um importante problema de saúde, porque traz sofrimento ao paciente, incapacitando-o para atividades que, de outro modo, poderia realizar; amplia as limitações ocasionadas por outras doenças e sobrecarrega familiares e cuidadores. "Mesmo com a melhora na exatidão do diagnóstico, a depressão no idoso ainda é largamente subdiagnosticada no Brasil. Seus sintomas podem ser confundidos com o de outras doenças presentes nos idosos, um grupo em que é elevada a chance de haver múltiplos problemas físicos e, portanto, múltiplos sintomas. Contribui para isto o fato de que a alteração do humor pode não ser tão evidente. Apresentam sintomas vagos, como perda de apetite, insônia e falta de energia, que muitas vezes podem ser atribuídos a outras causas. A alteração do humor, por sua vez, pode equivocadamente ser atribuída às limitações e sintomas de outras doenças, a problemas econômicos e à perda de convívio social", afirma o médico.

As alterações neuropsicológicas são um aspecto importante da depressão no idoso. É freqüentemente relatado que os pacientes com depressão tardia apresentem dificuldade de atenção e concentração, de função executiva e de memória. Conforme artigo publicado por M. A. Butteres na revista Archives of General Psychiatry, na realidade, mesmo quando as alterações cognitivas não são óbvias à primeira vista, a avaliação mais detalhada de idosos que preencham os critérios para depressão maior, mostra que este grupo pode apresentar algum grau de alteração em praticamente todos os domínios cognitivos, principalmente velocidade de processamento da informação, função executiva e habilidade viso-espacial, e que esta alteração é ...

Clique aqui para ler este artigo em Saude em Movimento

Termos e Condições | Política de Privacidade
Fonte do texto: Saúde em Movimento
Banco de dados de médicos e clínicas: Doctoralia
Obs.: Se seu nome aparece no nosso cadastro e deseja que o tiremos, favor entrar em contato com support@nsphere.net