Clínica dos olhos Angra dos Reis, Rio de Janeiro

Encontre clínica dos olhos em Angra dos Reis. Conheça os profissionais especializados desta área em sua região, aproveite e leia nossos artigos com tutoriais, dicas e informações relevantes sobre este assunto.

Regina Granato Laboratorio Ltda
(21) 2544-1547
R. Cel. Serrado 688
Sao Goncalo, Rio de Janeiro
Especialidade
Patologia Clínica/Medicina Laboratorial

Dados Divulgados por
Alexandre Mônaco
(21) 2719-7680
R Miguel de Frias 77 - Sl. 813 a 816
Niteroi, Rio de Janeiro
Especialidade
Medicina Intensiva

Dados Divulgados por
Fernando Mauro Junqueira Bastos
(21) 2256-3618
Rua Tonelero 59 - 101
Rio de Janeiro, Rio de Janeiro
Especialidade
Medicina do Trabalho

Dados Divulgados por
Heleine Laudelina de Almeida
24871615
Av. das Américas 16355 (cob.02) Recreio
Rio de Janeiro, Rio de Janeiro
Especialidade
Medicina Estetica

Dados Divulgados por
Luiz Francisco Souza da Fontoura
33258428
Av das Américas 4790 cj. 519 Barra da Tijuca Rio de Janeiro
Rio de Janeiro, Rio de Janeiro
Especialidade
Cirurgia Cranio-Maxilo-Facial

Dados Divulgados por
Dailton Medeiros
(21) 2527-5500
R. Voluntarios da Patria 190 - 513
Rio de Janeiro, Rio de Janeiro
Especialidade
Patologia

Dados Divulgados por
Leonardo Justin Carap
(21) 2719-9585
Rua Dr. Borman 23 - 1202
Niteroi, Rio de Janeiro
Especialidade
Medicina Preventiva e Social

Dados Divulgados por
Gloria Regina Dacheux Mazzaroppi
255-6863
R. Alm. Tamandare 66 - 624
Rio de Janeiro, Rio de Janeiro
Especialidade
Nutrologia

Dados Divulgados por
Fernando J Chapermann
(21) 2247-0435
Av N S Copacabana 1066 - Sala 1102D
Rio de Janeiro, Rio de Janeiro
Especialidade
Medicina de Família e Comunidade

Dados Divulgados por
Marcelo Garcia Araújo
(21) 9358-3561
R. Conde de Porto Alegre 477 - 1008/1010
Duque de Caxias, Rio de Janeiro
Especialidade
Medicina do Trabalho

Dados Divulgados por
Dados Divulgados por

Clínica dos olhos

Fornecido por: 

A visão de uma pessoa é formada até os cinco anos de idade, o que torna crítica necessidade de se detectar problemas nesse período para aumentar as chances de tratamento, segundo adverte o dr. Sérgio Kniggendorf, do Hospital Oftalmológico de Brasília.

O médico aconselha os pais ficarem atentos aos sinais dados pelo organismo. "Quando a criança tem problemas de visão, alguma coisa dá o sinal", diz.

Não há uma fase específica da vida em que os problemas visuais se manifestam com maior intensidade. Entretanto, se diagnosticados na primeira infância, podem ser resolvidos ou amenizados.

Até os cinco anos de idade o nervo óptico está em desenvolvimento, a criança está aprendendo a enxergar, está montando o que os oftalmologistas chamam de plasticidade do sistema nervoso.

Se, por algum problema ela monta seu campo visual com prejuízos, não há como modificá-lo no futuro.

Por exemplo: uma criança portadora de catarata congênita, não tratada nos primeiros anos de vida, mesmo que mais tarde se submeta a uma cirurgia para substituição do cristalino, não enxergará como um adulto normal que realizou a mesma cirurgia, pois sua base visual é limitada.

Aprender a observar

Felizmente, a maioria dos problemas visuais de maior gravidade são facilmente identificados. O estrabismo pode indicar alguma deficiência visual.

No glaucoma congênito, o globo ocular se apresenta dilatado por causa do aumento da pressão intra-ocular. Quando há catarata congênita, a pupila fica branca.

Um sintoma que também indica baixa acuidade visual, é o movimento involuntário e convulsivo dos globos oculares de um lado para o outro ou de cima para baixo. Chamado de nistagmo, está relacionado à incapacidade dos olhos de manterem o foco visual.

"Todas essas doenças, se detectadas prematuramente podem ser tratadas e seus portadores levar uma vida normal", informa Kniggendorf.

Se durante a gravidez a mãe sofrer alguma infecção, uma toxoplasmose, uma rubéola, ou outra alteração viral, a visão da criança também poderá ser alterada.

Mães soropositivas estão mais sujeitas ao citamegalovírus, vírus comum, com o qual praticamente metade da população já teve contato sem prejuízos maiores, mas que em imunodeprimidos, como os portadores do HIV, gera problemas como a perda da visão.

No geral, os vírus interferem no desenvolvimento e formação da retina ainda no útero, provocando cicatrizes responsáveis pela perda da acuidade visual. Deficiências visuais de menor intensidade como a miopia podem se manifestar por outros meios: crianças com dificuldade em andar ou com problemas de relacionamento pessoal podem, na verdade, estar enxergando mal.

Leitura precoce

Antigamente acreditava-se que a leitura prejudicava a visão, pois as crianças que preferiam ler a realizar outras atividades tinham problemas de visão.

Hoje se sabe que o raciocínio correto é o inverso: a criança míope escolhe ler ou realizar taref...

Clique aqui para ler este artigo em Saude em Movimento

Termos e Condições | Política de Privacidade
Fonte do texto: Saúde em Movimento
Banco de dados de médicos e clínicas: Doctoralia
Obs.: Se seu nome aparece no nosso cadastro e deseja que o tiremos, favor entrar em contato com support@nsphere.net