Consultório de Alergologia e Imunologia Muriaé, Minas Gerais

Encontre consultório de alergologia e imunologia em Muriaé. Conheça os profissionais especializados desta área em sua região, aproveite e leia nossos artigos com tutoriais, dicas e informações relevantes sobre este assunto.

Pedro Cavalcante Falcão Júnior
(32) 3729-7028
Av. Cristiano F. Varella 555
Muriaé, Minas Gerais
Especialidade
Patologia

Dados Divulgados por
Marinho Paulo Moreira Bastos
323-6915
Av Rio Branco 2406 - 4 Andar
Juiz de Fora, Minas Gerais
Especialidade
Patologia Clínica/Medicina Laboratorial

Dados Divulgados por
Jose Euclides Franco Ribeiro
3224-8503
R Aquiles Lobo 129
Belo Horizonte, Minas Gerais
Especialidade
Patologia

Dados Divulgados por
Nieta Cervilha
(34) 3236-8407
R. Ituiutaba 770 - 201
Uberlandia, Minas Gerais
Especialidade
Patologia

Dados Divulgados por
Denise Batista da Cunha
(31) 3274-4409
Rua Doutor Jarbas Vidal Gomes 30 - Sala 301
Belo Horizonte, Minas Gerais
Especialidade
Medicina do Trabalho

Dados Divulgados por
Hector Luis Coraspe Leon
(34) 3318-9200
Rua Constituiçao 751 - 751
Uberaba, Minas Gerais
Especialidade
Medicina Intensiva

Dados Divulgados por
Marcelo Salomao Bechara
323-2159
Rua Santo Antonio 1500 - 801
Juiz de Fora, Minas Gerais
Especialidade
Medicina do Trabalho

Dados Divulgados por
Marcos Jose Burle de Aguiar
3281-8298
Av do Contorno 4747 - Sala 1101
Belo Horizonte, Minas Gerais
Especialidade
Genética Médica

Dados Divulgados por
Maria Beatriz Moreira Alkmim
3248-9600
Av Professor Alfredo Balena 110
Belo Horizonte, Minas Gerais
Especialidade
Patologia

Dados Divulgados por
Maria Augusta Gomes Pereira
(31) 3221-5200
Av. do Contorno 4852 - Sala 408
Belo Horizonte, Minas Gerais
Especialidade
Nutrologia

Dados Divulgados por
Dados Divulgados por

Consultório de Alergologia e Imunologia

Fornecido por: 

As reações alérgicas ocorrem em cerca de 20% da população mundial ou brasileira e são devido a uma predisposição genética pré determinada e chamada de predisposição atópica, ou seja, estas pessoas têm uma tendência a reagir de uma maneira muito mais intensa,chamada de hiperreação à determinadas substâncias que invadem ou penetram no organismo e que são estranhas a ele. Estas substâncias podem penetrar por via oral,respiratória ou injetável e provocam um estímulo do sistema imunitário que reage fabricando uma imunoglobulina chamada IgE, capaz de se ligar a substância invasora mas também capaz de se ligar a células do organismo chamadas de mastócitos ou basófilos.

Quando ocorre uma invasão pela segunda vez ou outras vezes a substância pode se ligar a IgE já ligada aos mastócitos ou basófilos e aí causar uma reação que fará com que estas células se rompam e liberem produtos intracelulares nos tecidos ao redor e provocam então as reações alérgicas.

Estas reações são caracterizadas por prurido, edema, vasodilatação e constrição de músculos lisos. Secundariamente aparece também uma inflamação imunológica devido a migração de outras células para o local, principalmente eosinófilos, linfócitos,monócitos e plaquetas que tendem a manter a reação alérgica por muito mais tempo.

O indivíduo que está sofrendo estas reações tende a manifestar coceiras,espirros, inchação, vermelhidão, urticárias, falta de ar, sibilos, obstrução, etc, dependendo se o fato ocorre na pele, nas narinas, no pulmão.

Estes são os sintomas das urticárias, rinites alérgicas, dermatites atópicas e asma brônquica. As pessoas que são hiperreatoras estão sujeitas a manifestar a reação toda vez que se expõe àquela substância a que é sensível ou então manifesta permanentemente a reação por estar sempre submetido a contato com as substâncias agressoras.
Como a principal substância liberada pelos mastócitos e basófilos é a histamina a conclusão é que se poderia bloquear a reação com antihistamínicos.Isto em parte é verdade, se a reação é pouco duradoura, porém como outras substâncias de outras células são também liberadas e os antihistamínicos não atuam aqui, fica um pouco mais complexo o que fazer, mas isto está em outro ícone.

  PRINCIPAIS CAUSADORES DAS ALERGIAS E COMO CONTROLAR

Percentual em 100 pacientes com Alergia
Respiratória Crônica e Prick Testes Positivos

Pólens
0,2%
Gato
3,8%
Cão
7,2%
Fungos 2
8,3%
Fungos 1
10,2%
Barata
12,5%
B. tropicalis
71,4%
D. farinas
75,8%
D. pleronyssinus
82%
F...

Clique aqui para ler este artigo em Saude em Movimento

Termos e Condições | Política de Privacidade
Fonte do texto: Saúde em Movimento
Banco de dados de médicos e clínicas: Doctoralia
Obs.: Se seu nome aparece no nosso cadastro e deseja que o tiremos, favor entrar em contato com support@nsphere.net