Dentistas São Paulo, São Paulo

Encontre dentistas em São Paulo. Conheça os profissionais especializados desta área em sua região, aproveite e leia nossos artigos com tutoriais, dicas e informações relevantes sobre este assunto.

Jefferson Palma Okimoto
(43) 3523-8447
Av 15 de Novembro 480
São Paulo, São Paulo
Especialidade
Odontologia

Dados Divulgados por
Elton Barros de Oliveira
(63) 3361-2765
Rua Brasil Central Q 39 1112
São Paulo, São Paulo
Especialidade
Odontologia

Dados Divulgados por
Patrícia M F Gomes
(71) 3353-4609
Av Antônio Carlos Magalhães 1034 s 311b
São Paulo, São Paulo
Especialidade
Odontologia

Dados Divulgados por
Francisco C Almeida
(88) 3521-3456
Rua Diógenes Frazão 700
São Paulo, São Paulo
Especialidade
Odontologia

Dados Divulgados por
Seu Dentista
Av Gov Amaral Peixoto 143 ap 101
São Paulo, São Paulo
Especialidade
Odontologia

Dados Divulgados por
Leonardo E P Magalhães
(31) 3390-0330
Av Carmelita Drummond Diniz 406 c A
São Paulo, São Paulo
Especialidade
Odontologia

Dados Divulgados por
Hirano Odontologia
(11) 2674-2140
Rua Saigon, 246
São Paulo, São Paulo
 
Hermínia G Trindade
(71) 3682-1749
Pc Bom Despacho s/n km 1
São Paulo, São Paulo
Especialidade
Odontologia

Dados Divulgados por
Dr Nilson Moreno Pereira
(11) 5523-3829
Rua Carlos Petit, 199
São Paulo, São Paulo
 
Eloylson R Souza
(21) 2286-6724
Rua Marques 15
São Paulo, São Paulo
Especialidade
Odontologia

Dados Divulgados por
Dados Divulgados por

Dentistas

Fornecido por: 

A eficácia do flúor em relação à prevenção de cáries e à manutenção de dentes saudáveis já foi atestada por vários estudos. Sua presença não é essencial, mas a substância é, sem dúvida, um grande aliado do fortalecimento da estrutura dentária, por meio de sua incorporação nos cristais do esmalte. No entanto, é preciso prestar atenção para os excessos.  

A atuação do flúor deixa o esmalte menos suscetível às ações de microrganismos, o que torna importante sua aplicação tanto nos dentes de leite quanto nos permanentes.

A presençã do flúor em dose exagerada no organismo, porém, é prejudicial, podendo ocasionar dois tipos de intoxicação: a aguda e a crônica.

A primeira ocorre quando há alta concentração de flúor em algum produto aplicado no paciente. No uso de gel fluoretado, por exemplo, o dentista não deve deixar de colocar o sugador que evita a deglutição do gel tóxico. Assim, caso o paciente se queixe de dores estomacais, náuseas e vômitos, o indicado é a ingestão de leite.

O cálcio contido no leite ao se combinar com o flúor, forma o fluoreto de cálcio, sal insolúvel não absorvível pelo organismo. Nos quadros mais graves, em que o paciente já demonstra manifestações neurológicas e parte do flúor já foi absorvido, é necessária a lavagem gástrica ou até a hemodiálise.

A intoxicação crônica, mais conhecida como fluorose, ocorre quando um produto com baixa concentração de flúor é utilizado durante um longo período, geralmente meses ou anos. A taxa de flúor é baixa, porém maior do que os níveis aceitáveis.

A deglutição de pasta de dente ou soluções bucais e eventuais erros na dosagem de flúor colocado na água para o abastecimento da população são os principais causadores da fluorose.

Existem ocorrências de fluorose endêmica nas regiões em que a água não é fluoretada artificialmente, como na maioria das cidades, porque o lençol freático contém uma quantidade de flúor maior do que a necessária. Se o nível de flúor na água é maior do que uma parte por milhão (1ppm), a intoxicação pode ocorrer.

A fluorose é identificada pelo aparecimento de manchas nos dentes. Sua versão leve, por exemplo, cria manchas brancas, geralmente estrias horizontais que acompanham toda a face do dente.

Dependendo da severidade do caso, isto é, do tempo de exposição permanente do indivíduo ao flúor, a fluorose pode gerar manchas amarelas, amarronzadas e, nos casos mais graves, perda do esmalte dentário.

Em todas as circunstâncias, não há tratamento. Uma vez manchado o dente, não há o que fazer; porém, se a mancha for pequena, pode-se lixar a estrutura dentária na tentativa de removê-la, o que não é recomendado pelos dentistas em todos os casos.

As intoxicações são raras, mas ocorrem principalmente em crianças que engolem o gel colocado nas moldeiras no momento da aplicação do flúor e o dentifrício das escovações diárias. A ingestão acidental do flúor da pasta pode ser evita...

Clique aqui para ler este artigo em Saude em Movimento

Termos e Condições | Política de Privacidade
Fonte do texto: Saúde em Movimento
Banco de dados de médicos e clínicas: Doctoralia
Obs.: Se seu nome aparece no nosso cadastro e deseja que o tiremos, favor entrar em contato com support@nsphere.net