Dependência de pertubadores sintéticos Mogi das Cruzes, São Paulo

Entenda a definição de pertubadores sintéticos. Saiba quais são os tipos de drogas enquadradas nessa categoria e quais as suas características. Confira também, os efeitos tóxicos dessas substâncias. Consulte a lista de serviços de apoio, em Mogi das Cruzes.

Clínica Equilíbrio S/C Ltda
(11) 4827-5454
r Domingos Mejias Morgado, 39, An 2 Sl 21, Centro
Ribeirão Preto, São Paulo

Dados Divulgados por
Mariana Buchalla (psicologa cognitiva-comportamental)
(18) 3222-2955
Av. Washington Luiz, 1249
Presidente Prudente, São Paulo
 
Instituto Lumen
(16) 3623-3870
r Amazonas,Br, 2108, Jd Sumaré
Ribeirão Preto, São Paulo

Dados Divulgados por
Clinica Integrada Reviva
(11) 2409-1581
pça Humberto Reis Costa,Comend, 87, Centro
Guarulhos, São Paulo

Dados Divulgados por
Psicóloga Clínica
(11) 4771-2343
Av: Armando de Andrade, 346
Taboão da Serra, São Paulo
 
Ego Clínica Psicológica e Integrada S/C Ltda
(11) 4828-5302
r Felipe Sabbag, 145, Centro
Ribeirão Preto, São Paulo

Dados Divulgados por
Psicologia Clínica
(12) 3132-6334
Rua José Ferreia Viana, 18
Guaratinguetá, São Paulo
 
nappsicologia núcleo de assessoria psicológica
11 9603 3041 11 6837 3184
Rua Drº Tosta 194 centro
Bragança Paulista, São Paulo
 
Psicóloga Clínica
(11) 9109-6113
Itapecerica da Serra
Itapecerica da Serra, São Paulo
 
Elaine Bueno da Silva Trevezan
(11) 4781-3379
av Elias Yazbek, 1404, Sl 1
Embu, São Paulo

Dados Divulgados por
Dados Divulgados por

Dependência de pertubadores sintéticos

Fornecido por: 

(ALUCINÓGENOS) LSD-25 ("ácido"); MDMA ("êxtase")



Definição



Perturbadores ou Alucinógenos sintéticos são substâncias fabricadas (sintetizadas) em laboratório, não sendo, portanto, de origem natural, e que são capazes de promover alucinações no ser humano. Vale a pena recordar um pouco o significado de alucinação: "é uma percepção sem objeto". Isto significa que, mesmo sem ter um estímulo (objeto) a pessoa pode sentir, ver, ouvir.

Como exemplo, se uma pessoa ouve uma sirene tocando e há mesmo uma sirene perto, esta pessoa está normal; agora se ela ouve a sirene e não existe nenhuma tocando, então a pessoa está alucinando ou tendo uma alucinação auditiva.

Da mesma maneira, sob a ação de uma droga alucinógena ela pode ver um animal na sala (por exemplo um elefante) sem que, logicamente, exista o elefante; ou seja, a pessoa está tendo uma alucinação visual.



O LSD-25 (abreviação de dietilamina do ácido lisérgico) é, talvez, a mais potente droga alucinógena existente.

É utilizado habitualmente por via oral, embora possa ser misturado ocasionalmente com tabaco e fumado.

Algumas microgramas (e micrograma é um milésimo de uma miligrama que, por sua vez, é um milésimo de um grama) já são suficientes para produzir alucinações no ser humano.

O efeito alucinógeno do LSD-25 foi descoberto em 1943 pelo cientista suíço Hoffmam, por acaso, ao aspirar pequeníssima quantidade de pó num descuido de laboratório.

Eis o que ele descreveu.

"Os objetos e o aspecto dos meus colegas de laboratório pareciam sofrer mudanças ópticos. Não conseguindo me concentrar em meu trabalho, num estado de sonambolismo, fui para casa, onde uma vontade irresistível de me deitar apoderou-se de mim.

Fechei as cortinas do quarto e imediatamente caí em um estado mental peculiar, semelhante à embriaguez, mas caracterizado por imaginação exagerada. Com os olhos fechados, figuras fantásticas de extraordinária plasticidade e coloração surgiram diante de meus olhos.

" O seu relato detalhado das experiências alucinatórias levou a uma intensa pesquisa desta classe de substâncias, culminando, nas décadas de 50 e 60, no seu uso psiquiátrico, embora com resultados pouco satisfatórios...



Continue sua leitura em Saúde e Movimento

Termos e Condições | Política de Privacidade
Fonte do texto: Saúde em Movimento
Banco de dados de médicos e clínicas: Doctoralia
Obs.: Se seu nome aparece no nosso cadastro e deseja que o tiremos, favor entrar em contato com support@nsphere.net