Apnéia do sono Caucaia, Ceará

Conheças as causas da apnéia do sono. O autor detalha as implicações desse distúrbio respiratório. Saiba também quais são as doenças e os fatores que favorecem às apnéias obstrutivas. O médico Ronaldo Gomes explica os detalhes. Consulte a lista de especialistas da área, em Caucaia.

Jose Alberto Rocha
3368-8999
Av Edson da Mota Correia 714
Fortaleza, Ceará
Especialidade
Medicina do Trabalho

Dados Divulgados por
Marilia Pereira Nogueira
3246-6477
R Coronel Alves Teixeira 1355
Fortaleza, Ceará
Especialidade
Medicina do Trabalho

Dados Divulgados por
Amancio de Jesus Ferreira Costa
R Vicente Padilha 512
Fortaleza, Ceará
Especialidade
Medicina do Trabalho

Dados Divulgados por
Maria do Socorro Silveira Magalhaes
Rua Pe Luis Figueira 550
Fortaleza, Ceará
Especialidade
Patologia

Dados Divulgados por
Joao Quintino Nt
3226-9650
R Guilherme Rocha 253
Fortaleza, Ceará
Especialidade
Medicina do Trabalho

Dados Divulgados por
Caesar Augustus B Fontes
3368-8995
Av Edson da Mota Correia 714
Fortaleza, Ceará
Especialidade
Genética Médica

Dados Divulgados por
Maria Helena Magalhaes Albuquerque
(85) 3227-0322
Rua Professor Francisco Gonçalves 47
Fortaleza, Ceará
Especialidade
Patologia Clínica/Medicina Laboratorial

Dados Divulgados por
Ana Francisca Moreira Martins
3279-8500
Av Oliveira Paiva- 1291
Fortaleza, Ceará
Especialidade
Medicina do Trabalho

Dados Divulgados por
Maria Roseli M Callado
3261-7938
Av Desembargador Moreira 2120
Fortaleza, Ceará
Especialidade
Patologia

Dados Divulgados por
Francisco Joao da Silva
3486-6067
Av Dom Luis 1233
Fortaleza, Ceará
Especialidade
Patologia Clínica/Medicina Laboratorial

Dados Divulgados por
Dados Divulgados por

Apnéia do sono

Fornecido por: 

Apnéia do sono - Por que ocorre a apnéia do sono?

Para entender melhor como ocorrem as apnéias / hipopnéias é necessário recordar a fisiologia básica do controle da ventilação. O referido controle realiza através de duas vias: a voluntária e a automática. Esta última, única durante o sono, regula a ventilação em função das necessidades do organismo através de uma série de receptores (quimiorreceptores e mecanorreceptores). Desde os centros respiratórios são emitidas uma série de estímulos dirigido a dois grupos musculares: 1) os músculos ventilatórios, cuja a contração é responsável em maior ou menor grau do esforço inspiratório, e 2) os músculos que mantém aberta a via aérea superior, com o objetivo de mate-la permeável durante a contração dos músculos ventilatórios. A resultante será uma adequada ventilação pulmonar. Ambos grupos musculares deverão estar corretamente coordenados para que o esforço inspiratório seja eficaz. Os músculos da via aérea superior se dividem em três grupos:

  1. Músculos da nasofaringe: o mais representativo seria o "tensor palatini", cuja função principal é abrir o palato mole durante a respiração.

  2. Músculos da orofaringe: o mais representativo é o genioglosso, que evita que a base da língua se projete posteriormente durante o sono e provoque uma obstrução  a este nível.

  3. Músculos da hipofaringe: mantém a via aérea permeável nesta topografia.

No esquema seguinte estão relacionados os aspectos mais peculiares do controle da ventilação pulmonar durante o sono.

Controle da Ventilação Pulmonar durante o sono. Principais características:

1 - Músculo da Via Aérea Superior:

  • Redução de sua atividade tônica e fásica.

2 - Centros Respiratórios:

  • Diminuição dos estímulos procedentes dos centros respiratórios para os músculos da via aérea superior, especialmente na fase REM.

  • Redução das respostas ventilatórias a hipoxemia, hipercapnia e a resistência da via aérea.

3 - Diminuição da Ventilação Durante o Sono:

  • Diminuição do metabolismo basal.

  • Redução das respostas ventilatórias a hipoxemia e hipercapnia.

  • Os centrosrespiratórios estão ajustados para manter um PCO2 arterial de 3 a 4 mmHg superior durante o sono.

Atividade dos músculos da via aérea superior:

Durante o dia os músculos da via aérea superior possuem uma importante atividade tônica e uma mínima atividade fásica, resultando em uma faringe pouco colapsável e uma luz ampla. Durante o sono decresce a atividade tônica dos músculos da via aérea superior bem como há uma redução da atividade fásica.   Disto resulta que durante o sono, mesmo em indivíduos sadios e em condições normais, a luz da via aérea superior encontra-se diminuída e por sua vez mais colapsável. É produzido portanto, um aumento da resistência da via aérea superior durante o sono, que em condições normais não tem maior significado, dado que durante a inspiração a ativid...

Clique aqui para ler este artigo em Saude em Movimento

Termos e Condições | Política de Privacidade
Fonte do texto: Saúde em Movimento
Banco de dados de médicos e clínicas: Doctoralia
Obs.: Se seu nome aparece no nosso cadastro e deseja que o tiremos, favor entrar em contato com support@nsphere.net