Febres hemorrágicas Alegrete, Rio Grande do Sul

Conheça as características do vírus ebola e os aspectos da patologia. Saiba como é feito o processo de vigilância epidemológica. Confira também, outros detalhes pertinentes a febre hemorrágica. Consulte a lista de especialistas da área, em Alegrete.

Ana Maria Sandri
(51) 3336-1235
Av. Ipiranga 6690 - Sl 704
Porto Alegre, Rio Grande do Sul
Especialidade
Infectologia

Dados Divulgados por
Thays Kepplin Prola
(51) 3311-4144
Rua Santo Antônio 434 - 302
Porto Alegre, Rio Grande do Sul
Especialidade
Infectologia

Dados Divulgados por
Alexandre Prehn Zavascki
(51) 3362-1850
Jose Scutari 260
Porto Alegre, Rio Grande do Sul
Especialidade
Infectologia

Dados Divulgados por
Paulo Renato Petersen Behar
(51) 3343-4100
Av. Bagé 1292 - Apto 301
Porto Alegre, Rio Grande do Sul
Especialidade
Infectologia

Dados Divulgados por
Jane Margarete Costa
(55) 3221-8941
Pinheiro Machado 2350 - 307 B
Santa Maria, Rio Grande do Sul
Especialidade
Infectologia

Dados Divulgados por
Márcia de Lima Rodrigues
(53) 3233-5140
Av Major Carlos Pinto 420
Rio Grande, Rio Grande do Sul
Especialidade
Infectologia

Dados Divulgados por
Marilia Maria dos Santos Severo
(51) 3343-4100
Av. Bagé 1292 - Apto 301
Porto Alegre, Rio Grande do Sul
Especialidade
Infectologia

Dados Divulgados por
Roseli Stone Vieira
533-2339
R Aquidaban 746 - C
Rio Grande, Rio Grande do Sul
Especialidade
Infectologia

Dados Divulgados por
Eduardo Sprinz
(51) 3330-2961
Av. Taquara 198 - Cj. 204
Porto Alegre, Rio Grande do Sul
Especialidade
Infectologia

Dados Divulgados por
Clube Subtenentes e Sargentos Guarnicao Alegrete
(55) 422-2880
r Coronel Cassio Canto, Lara
Alegrete, Rio Grande do Sul
 
Dados Divulgados por

Febres hemorrágicas

Fornecido por: 


Aspectos Clínicos


Descrição - Doença febril aguda e grave que se inicia, subitamente, com febre, mal-estar, mialgia, cefaléia, faringite, vômitos, diarréia, prostação profunda. O agente tem tropismo pelo sistema fagocítico monocitário.

Em alguns casos, o surgimento de exantema macular no tronco, entre o 5° e o 7° dias de doença, precede as manifestações hemorrágicas: conjuntivite hemorrágica, úlceras sangrentas em lábios e boca, sangramento gengival, hematêmase e melena.

Quando ocorrem essas manifestações, os pacientes evoluem para óbito, pois as diáteses hemorrágicas são acompanhadas de lesões hepáticas, insuficiência renal, hemorragias do sistema nervoso central e choque terminal, com disfunção de múltiplos órgãos.



Sinonímia - Febre hemorrágica africana, doença viral de Marburg, febre hemorrágica por vírus Ebola.



Aspectos Epidemiológicos


Agente etiológico - Vírus Ebola, que pertence a família Filoviridae e ao gênero Filovirus. É RNA e 4 espécies parasitam o homem: Marburg, Ebola Zaires, Ebola Sudão e Ebola Reston. Esses 3 últimos se diferenciam sorologicamente e por diferentes seqüências de bases no RNA.




Vírus Ebola



Reservatório - Desconhecido.



Modo de transmissão - Pessoa a pessoa (aparentemente só através de pacientes graves), seringas e agulhas contaminadas, contato sexual. Já houve registro de epizootia entre macacos, que infectaram alguns tratadores dos animais, que não apresentaram manifestações clínicas.

Aparentemente, a forma de transmissão foi respiratória.



Período de incubação - Varia de 5 a 12 dias, sendo menor quando a transmissão é parenteral e mais longa quando a transmissão é de pessoa a pessoa...

Continue sua leitura em Saúde e Movimento

Termos e Condições | Política de Privacidade
Fonte do texto: Saúde em Movimento
Banco de dados de médicos e clínicas: Doctoralia
Obs.: Se seu nome aparece no nosso cadastro e deseja que o tiremos, favor entrar em contato com support@nsphere.net