Densitometria óssea Fortaleza, Ceará

Saiba quais são as circustâncias que motivam a indicação do exame de densitometria óssea. As autoras Claudia Simões, Joseane Carvalho e Marcília Morais descrevem os fatores de risco da osteoporose. Entenda quando o exame de densitometria óssea é recomendáv Consulte a lista de especialistas da área, em Fortaleza.

Edilson Gurgel Santos
3221-2800
R Doutor Joao Moreira 344
Fortaleza, Ceará
Especialidade
Patologia

Dados Divulgados por
Luciana Gomes da R Arruda
3272-6414
Av Pontes Vieira 2591
Fortaleza, Ceará
Especialidade
Patologia

Dados Divulgados por
Ana Maria Medeiros L Melo
3261-9317
Av Santos Dumont 2626
Fortaleza, Ceará
Especialidade
Medicina do Trabalho

Dados Divulgados por
Francisco Jose Nunes Candido
3261-7557
R Coronel Linhares 950
Fortaleza, Ceará
Especialidade
Medicina do Trabalho

Dados Divulgados por
Dalgimar Beserra de Menezes
3231-9075
R Joao Cordeiro 1656
Fortaleza, Ceará
Especialidade
Patologia

Dados Divulgados por
Irene de Castro Maia Nogueira
Av Antonio Sales 2933
Fortaleza, Ceará
Especialidade
Patologia Clínica/Medicina Laboratorial

Dados Divulgados por
Regia Maria do S V do Patrocínio
(34) 8661-6161
Av Dom Luis 1233
Fortaleza, Ceará
Especialidade
Patologia

Dados Divulgados por
Ana Virginia M da F Ribeiro
3461-3131
R Doutor Jose Lourenco 1860
Fortaleza, Ceará
Especialidade
Patologia Clínica/Medicina Laboratorial

Dados Divulgados por
Marilia Pereira Nogueira
3246-6477
R Coronel Alves Teixeira 1355
Fortaleza, Ceará
Especialidade
Medicina do Trabalho

Dados Divulgados por
Estefania Mota Araripe Pereira
3223-8823
R Gilberto Camara 835
Fortaleza, Ceará
Especialidade
Patologia Clínica/Medicina Laboratorial

Dados Divulgados por
Dados Divulgados por

Densitometria óssea

Fornecido por: 

Osteoporose - Quem deve fazer o exame de densitometria óssea?

O médico pode recomendar, como medida preventiva e/ou diagnóstica, o estudo da densidade óssea pela técnica da densitometria óssea, caso o paciente se encaixe em alguma das situações abaixo:

ser mulher e estiver próxima à menopausa;

estar decidindo se vai fazer uso de estrógenos após a menopausa; Saúde em Movimento.com.br


DEXA

estar tomando corticóides para doenças como asma, artrite ou lúpus;

ter hiperparatireoidismo primário;

ter tido fratura recente em que se suspeita de osteoporose;

estar monitorando a eficácia do tratamento da osteoporose;

ser branca ou asiática, magra, baixa, com história familiar de osteoporose;

fazer uso excessivo do álcool, cigarro ou café;

ter dieta pobre em cálcio;

estar imobilizado há muito tempo;

apresentar mais de um fator de risco.

A densitometria óssea pediátrica é indicada para algumas patologias que atingem crianças e adolescentes. Outras indicações importantes do exame incluem necessidade de determinação do grau de perda óssea e de diagnóstico precoce de osteopenia/osteoporose na perimenopausa, pós-menopausa, menopausa cirúrgica (ooforectomia bilateral ? remoção dos dois ovários) e na amenorréia, principalmente nas situações descritas anteriormente.

Como prevenção (essencial para o sucesso do tratamento), o exame deve ser feito por todas as mulheres a partir dos 45 anos e por todos os homens a partir dos 55 anos. Considerações sobre os fatores de risco em conjunto com os dados da DMO são pontos chave para a determinação de riscos de fratura.

Os locais mais importantes para a realização do exame são o colo do fêmur (que mostra 75% de osso cortical), a coluna vertebral baixa (região lombar, que mostra 66% de osso trabecular) e os punhos, uma vez que as fraturas ocorrem com maior freqüência nesses locais. A seleção do local para exame é baseada nos possíveis efeitos da doença ou medicação em cada tipo de osso, pois é imensa a variação na composição óssea das várias partes do esqueleto. Por exemplo, a deficiência de estrógeno pode resultar numa perda mais rápida no osso trabecular do que no osso cortical logo, um exame na coluna fornece dados mais "verdadeiros" do que no colo do fêmur (Fernandes et al., 1999).

Os objetivos da avaliação de pacientes com risco de osteoporose são diagnosticar a doença com base na avaliação da massa óssea, estabelecer os riscos de fratura e tomar decisões sobre a necessidade de uma terapia. Saúde em Movimento.com.br

No Brasil o SUS instituiu este exame como gratuito, mas são poucos ainda os Estados que o realizam gratuitamente.

Autoras: Prof. Claudia Maria Oliveira Simões, Joseane Ganske de Carvalho e Marcília Baticy Monteiro Morais - UFSC Mande um e-mail
Saúde em Movimento © 2000 - 2001 – Todos os ...

Clique aqui para ler este artigo em Saude em Movimento

Termos e Condições | Política de Privacidade
Fonte do texto: Saúde em Movimento
Banco de dados de médicos e clínicas: Doctoralia
Obs.: Se seu nome aparece no nosso cadastro e deseja que o tiremos, favor entrar em contato com support@nsphere.net