Médicos - Ginecologia e Obstetrícia Colombo, Paraná

Encontre médicos - ginecologia e obstetrícia em Colombo. Conheça os profissionais especializados desta área em sua região, aproveite e leia nossos artigos com tutoriais, dicas e informações relevantes sobre este assunto.

Carlos Augusto Villegas Chirinos
(41) 3335-1216
Rua Jacarezinho 394 (Ao lado da Torre da Oi)
Curitiba, Paraná
Especialidade
Medicina Estetica

Dados Divulgados por
Joao Bosco da Rocha Strozzi
(41) 3212-3213
Av Pres Kennedy 4121 - Shopping Palladium
Curitiba, Paraná
Especialidade
Medicina Preventiva e Social

Dados Divulgados por
Paulo Renato Calliari
(41) 3224-3346
R. Lourenço Pinto 196 - Cj 802
Curitiba, Paraná
Especialidade
Medicina de Tráfego

Dados Divulgados por
Analisa Lab. de Anal. Clinicas
(41) 3015-1816
Rua Padre Ildefonso 58
Curitiba, Paraná
Especialidade
Patologia Clínica/Medicina Laboratorial

Dados Divulgados por
Cintimagem Clin. de Medicina Nuclear
(41) 3259-6620
Av. Iguacu 1236
Curitiba, Paraná
Especialidade
Medicina Nuclear

Dados Divulgados por
Renato da Silva Freitas
(41) 3335-7474
R. Solimões 1154 Merces
Curitiba, Paraná
Especialidade
Cirurgia Cranio-Maxilo-Facial

Dados Divulgados por
Salmo Raskin
(41) 3306-6838
Rua Saldanha Marinho 1782
Curitiba, Paraná
Especialidade
Genética Médica

Dados Divulgados por
Iara Rute Correa Duarte
(45) 9933-0288
Rua das Palmas 188 - Jardim das Flores
Curitiba, Paraná
Especialidade
Medicina de Família e Comunidade

Dados Divulgados por
Affonso Coelho
(41) 3222-4896
Av Marechal Floriano Peixoto 228 - Cj 604
Curitiba, Paraná
Especialidade
Patologia Clínica/Medicina Laboratorial

Dados Divulgados por
Champagnat Clin. e Lab.
(41) 3335-5252
Rua Des. Isaias Bevilaqua 512
Curitiba, Paraná
Especialidade
Genética Médica

Dados Divulgados por
Dados Divulgados por

Médicos - Ginecologia e Obstetrícia

Fornecido por: 

As mães submetidas à operação cesariana aumentam a probabilidade de ter ruptura de útero se tentarem um parto natural na gravidez seguinte, especialmente se o trabalho for induzido, de acordo com estudo publicado nesta quinta-feira New England Journal of Medicine.

Pesquisadores da Universidade de Washington em Seattle analisaram 20.095 mulheres que tiveram o primeiro filho através de cesariana e depois o segundo filho de parto natural, no período de 1987 a 1996 no estado de Washington. No grupo estudado, foram registrados 91 casos de ruptura uterina.

Comparadas com as mulheres que se submeteram novamente à cesariana sem trabalho de parto, as que tiveram parto natural correram um risco três vezes maior de sofrer ruptura do útero.

Aquelas que tiveram parto induzido, mas não com uma droga conhecida como prostaglandina, tiveram um risco cinco vezes maior de sofrer a ruptura e as que foram induzidas com prostaglandina, que é uma droga mais forte, tiveram 15 vezes mais risco de ruptura.

A ruptura do útero é uma complicação de gravidez pouco comum, mas grave, que pode resultar em histerectomia, isto é ablação do útero, transfusões de sangue ou morte para a mãe e lesão cerebral ou morte para o bebê.

"De modo algum nosso estudo sugere que nenhuma mulher deveria ter parto vaginal após uma cesariana," disse dr. Thomas R. Easterling. "O que quer dizer é que há riscos que não avaliamos inteiramente."

O médico acrescentou que as mulheres podem optar pelo parto vaginal para ter a experiência ou por causa de uma recuperação mais rápida.

As que optarem pelo trabalho de parto devem ir para um hospital em que se possa recorrer à intervenção cirúrgica se for necessário.

"Esse é um estudo abrangente e mostra, de modo claro, que há um aumento no risco associado com o uso de prostaglandinas," disse dr. Michael F. Greene, diretor de medicina materno-fetal do Massachusetts General Hospital, em Bos...

Clique aqui para ler este artigo em Saude em Movimento

Termos e Condições | Política de Privacidade
Fonte do texto: Saúde em Movimento
Banco de dados de médicos e clínicas: Doctoralia
Obs.: Se seu nome aparece no nosso cadastro e deseja que o tiremos, favor entrar em contato com support@nsphere.net