Médicos - Psicólogo Cabo Frio, Rio de Janeiro

Encontre médicos - psicologia em Cabo Frio. Conheça os profissionais especializados desta área em sua região, aproveite e leia nossos artigos com tutoriais, dicas e informações relevantes sobre este assunto.

CTPF- Consultório de Tratamento Psicológico e Físico
(21) 3069-8854
Rua Maria Macedo 54, Centro. enfrente ao 875 da Nilo Peçanha
Nova Iguaçu, Rio de Janeiro
 
Rosalee Santos Crespo Psicóloga
(22) 2734-6164
r Sacadura Cabral, 9 Cs, Centro
Campos dos Goytacazes, Rio de Janeiro

Dados Divulgados por
CAPS-Centro de Atenção Psicosocial
(21) 2635-2615
r João Caetano, 370, Centro
Itaboraí, Rio de Janeiro

Dados Divulgados por
Maurício Gonzaga Carneiro
(21) 2771-5076
av Pres Vargas, 132, Centro
Duque de Caxias, Rio de Janeiro

Dados Divulgados por
Vera Lúcia Ponciano da Silva
(21) 2672-2145
r Gal Câmara, 18 sl 207, Jd 25 Agosto
Duque de Caxias, Rio de Janeiro

Dados Divulgados por
Teresa Cristina Linhares Áreas
(22) 2723-2338
r Alm Wandenkolk, 29, Parque Tamandaré
Campos dos Goytacazes, Rio de Janeiro

Dados Divulgados por
Ceiffopp Ltda
(24) 3348-1098
r Dezoito, 24, Vl Sta Cecília
Volta Redonda, Rio de Janeiro

Dados Divulgados por
Suzana Gonçalves de Abreu Domingues
(21) 2695-8759
r Quintino Bocaiúva, 25, An 6 Sl 606, Centro
Nova Iguaçu, Rio de Janeiro

Dados Divulgados por
CAMP - Centro de Atendimento Médico e Psicológico Ltda
(21) 3394-8773
av Cesário de Melo, 2787, Campo Grande
Rio de Janeiro, Rio de Janeiro

Dados Divulgados por
Instituto de Psicologia Ser e Crescer Ltda
(22) 2731-2272
r Correa,Maj, 255, Parque Jóquei Club
Campos dos Goytacazes, Rio de Janeiro

Dados Divulgados por
Dados Divulgados por

Médicos - Psicólogo

Fornecido por: 

Ansiedade - Saiba mais sobre esse distúrbio

  • O que é Ansiedade
  • Causas da doença
  • Sintomas e sinais
  • Quem sofre com a doença
  • Tratamento

O que é Ansiedade?

A ansiedade constitui-se no distúrbio psiquiátrico de maior prevalência na população geral. A ansiedade é uma emoção normal, universal do ser humano, que ocorre quando se antecipa uma situação de perigo. Pode ser benéfica pois conduz a uma mobilização e preparo para melhor enfrentar esses momentos. Torna-se patológica quando muito intensa ou desproporcional ao estímulo que originou ou quando surge sem que haja um motivo para isso. Este tipo de ansiedade leva ao desenvolvimento de doenças, como é o caso do pânico, das fobias, ansiedade associada à depressão, etc.

Causas da doença

A ansiedade patológica existe em diversas condições. Ela costuma estar presente em condições estressantes variadas como doenças médicas, na vigência de uso de medicamentos ou drogas, na abstinência de depressores do SNC (álcool, por exemplo), ou mesmo primariamente nos chamados "transtornos ansiosos".

Sintomas e sinais

Os sintomas podem ser:

Autonômicos: taquicardia, taquipnéia, sensação de falta de ar, boca seca, náusea, micção frequente, dificuldade para engolir, mal-estar abdominal, ondas de calor, etc.
Hiperventilação: paresetesias, tontura, vertigem, dor ou pressão no peito, desrealização e despersonalização.
Tensão muscular: sensação de tensão, dificuldade para relaxar, tremores, dores diversas e inespecíficas, contraturas.
Comportamento: inquietação, esquiva, reage assustado a pequenos estímulos, insônia e irritação.
Psíquicos: tensão, nervosismo, apreensão, sensação de que algo horrível vai acontecer, mal-estar indefinido, insegurança e dificuldade de concentração.

Quem sofre com a doença

Os resultados do estudo chamado ECA (Epidemiological Catchment Area) indicam uma prevalência de 14,6% de transtornos ansiosos na população geral, o que se permite concluir que são muito frequentes.

Tratamento

Geralmente a pessoa procura um clínico geral ou o médico de confiança ao perceber que os sintomas ou os estados de ansiedade persistem. O tratamento baseia-se principalmente no aconselhamento médico e no uso de tranquilizantes, que devem ser recomendados com a menor dose possível e por um tempo determinado, para evitar o risco de desenvolvimento de dependência.

Caso o paciente seja encaminhado a um psiquiatra, este poderá avaliar a necessidade de psicoterapia que pode constituir um tratamento mais curto ou mais prolongado, de acordo com as características de cada paciente.

O paciente também poderá contribuir com o sucesso do tratamento, realizando atividades físicas e evitando os momentos de solidão, bem como o uso de cigarro e café.

Fonte: Novartis

Data da Publicação: 16/02/2002

Clique aqui para ler este artigo em Saude em Movimento

Termos e Condições | Política de Privacidade
Fonte do texto: Saúde em Movimento
Banco de dados de médicos e clínicas: Doctoralia
Obs.: Se seu nome aparece no nosso cadastro e deseja que o tiremos, favor entrar em contato com support@nsphere.net