Médicos- Urologia Mossoró, Rio Grande do Norte

Encontre médicos - urologia em Mossoró. Conheça os profissionais especializados desta área em sua região, aproveite e leia nossos artigos com tutoriais, dicas e informações relevantes sobre este assunto.

Leonardo Davinci Lima Nogueira
(84) 3317-6212
R. Dionisio Filgueira 117 - (Cl Ginecologi
Mossoró, Rio Grande do Norte
Especialidade
Patologia

Dados Divulgados por
Lucia Amorim M.de Souza
(84) 3231-9106
Av. Romualdo Galvao 1703
Natal, Rio Grande do Norte
Especialidade
Patologia Clínica/Medicina Laboratorial

Dados Divulgados por
Maria Ione Ferreira Costa
(84) 3234-4706
Rua Tab Manoel Procopio 1080
Natal, Rio Grande do Norte
Especialidade
Genética Médica

Dados Divulgados por
Marlize de a Romano
(84) 3133-3400
Natal, Rio Grande do Norte
Especialidade
Patologia Clínica/Medicina Laboratorial

Dados Divulgados por
Simone Bezerra R C Rodrigues
(84) 3206-6000
Rua Norton Farias 1440
Natal, Rio Grande do Norte
Especialidade
Patologia Clínica/Medicina Laboratorial

Dados Divulgados por
Ceci Alves Uchoa G. de Araujo
(84) 3211-3944
Av Romualdo Galvao 960
Natal, Rio Grande do Norte
Especialidade
Patologia Clínica/Medicina Laboratorial

Dados Divulgados por
Maria das Gracas Moraes de Araujo Souza
(84) 3211-1144
Av Prudente de Morais 56
Natal, Rio Grande do Norte
Especialidade
Nutrologia

Dados Divulgados por
Katia Maria da Silva Mulatinho
(84) 3222-0187
Rua Mossoró 613
Natal, Rio Grande do Norte
Especialidade
Patologia Clínica/Medicina Laboratorial

Dados Divulgados por
Edilza Maria Andrade Dassuncao
(84) 3231-9106
Av. Romualdo Galvao 1703
Natal, Rio Grande do Norte
Especialidade
Patologia Clínica/Medicina Laboratorial

Dados Divulgados por
Ana Celsa Arboes Petronilo
(84) 3202-3355
Rua Joaquim Manoel 717 - S-215
Natal, Rio Grande do Norte
Especialidade
Patologia Clínica/Medicina Laboratorial

Dados Divulgados por
Dados Divulgados por

Médicos- Urologia

Fornecido por: 

Insuficiência renal aguda é caracterizada por uma rápida diminuição da filtração glomerular e, em conseqüência, clearance reduzido dos produtos do metabolismo e outras substâncias. Geralmente é acompanhada por oligúria ou anúria, algumas vezes por poliúria, com progressiva elevação da uréia sanguínea e creatinina sérica, distúrbios eletrolíticos e acidose metabólica.


CAUSAS TÓXICAS

  • Aminoglicosídios (es. gentamicina, kanamicina)
  • Tetracloreto de carbono
  • Polimixina
  • Etilenoglicol
  • Metais pesados
  • Mioglobina e hemoglobina


CAUSAS NÃO TÓXICAS

Podem ser classificadas pela origem: pré-renal, renal e pós-renal.

As causas principais são:

  • Necrose tubular aguda
  • Glomerulonefrite aguda
  • Obstrução de artéria renal
  • Nefrite intersticial aguda
  • Uropatia obstrutiva


MANIFESTAÇÕES CLÍNICAS

O principal sinal é oligúria ou anúria, ocorrendo por várias horas ou alguns dias. Entretanto, às vezes a insuficiência renal ocorre sem que seja observado oligúria, com excreção normal ou aumentada de água e eletrólitos.

Outros sinais e sintomas da insuficiência renal aguda incluem:

  • fraqueza
  • apatia
  • perda de apetite
  • náusea
  • vômitos
  • acidose metabólica progressiva
  • respiração freqüente e profunda (Kussmaul)
  • edema pulmonar
  • edema periférico
  • ascite
  • coma

Arritmias cardíacas e fraqueza muscular extrema podem ser resultantes de distúrbios metabólicos (hipercalemia, hipercalcemia).


DIAGNÓSTICO DIFERENCIAL

  • Retenção urinária aguda
  • Uremia pré-renal (desidratação, hipotensão)


INVESTIGAÇÕES RELEVANTES

Bioquimicamente, a insuficiência renal aguda é caracterizada pela elevação da concentração da uréia sanguínea e pelo aumento da concentração da creatinina sérica. Potássio sérico geralmente atinge uma concentração acima de 6.5 mmol/L.

Gasometria arterial indica acidose metabólica.

O ECG pode ser útil para avaliar a hipercalemia.


TRATAMENTO

  • Monitorização clínica cuidadosa, de preferência em uma unidade especializada.
  • Controle do balanço hidroeletrolítrico, especialmente hipercalemia e hiponatremia.
  • Corrigir fatores contribuintes, como hipovolemia e hipertensão.
  • Interromper a exposição ao agente(s) desencadeantes.
  • Monitorização cuidadosa das doses de drogas potencialmente nefrotóxicas, se forem absolutamente necessárias.
  • Administrar furosemida endovenosa.
  • Iniciar dopamina em infusão endovenosa contínua.
  • Controlar oferta hídrica.
  • Controlar oferta calórica.

Hemodiálise ou diálise peritoneal deve ser instituída com urgência nas seguintes situações :

a. Hipercalemia com arritmias cardíacas
b. Hiper-hidratação em paciente anúrico
c. Acidose metabólica refratária.


EVOLUÇÃO CLÍNICA E MONITORIZAÇÃO

Monitorizar balanço hidroel...

Clique aqui para ler este artigo em Saude em Movimento

Termos e Condições | Política de Privacidade
Fonte do texto: Saúde em Movimento
Banco de dados de médicos e clínicas: Doctoralia
Obs.: Se seu nome aparece no nosso cadastro e deseja que o tiremos, favor entrar em contato com support@nsphere.net