Pneumologista Rio Verde, Goiás

Encontre pneumologista em Rio Verde. Conheça os profissionais especializados desta área em sua região, aproveite e leia nossos artigos com tutoriais, dicas e informações relevantes sobre este assunto.

Riolab Laboratório
Rua Afonso Ferreira 48
Rio Verde, Goiás
Especialidade
Patologia Clínica/Medicina Laboratorial

Dados Divulgados por
Claudiane Martins de Oliveira
(62) 3213-1616
R 9 - a 447 Lapaci
Goiania, Goiás
Especialidade
Patologia

Dados Divulgados por
Humberto Borges Barbosa
(62) 3248-2859
Rua Gurupi Qd25 Lt6/8 000 - 1º Andar
Aparecida de Goiania, Goiás
Especialidade
Medicina Intensiva

Dados Divulgados por
Eliane Duarte Mota
(62) 3212-7333
R 39 - 181 Hosp Araujo Jorge
Goiania, Goiás
Especialidade
Patologia

Dados Divulgados por
Euler de Bastos Morais
R 9a (062) 2125207
Goiania, Goiás
Especialidade
Patologia Clínica/Medicina Laboratorial

Dados Divulgados por
Fernanda Carneiro Beraldo
623-2816
Al Coronel Joaquim de Bastosº 248
Goiania, Goiás
Especialidade
Nutrologia

Dados Divulgados por
Claudio Gonzaga Amorim
(62) 3212-5858
Av Oeste 3
Goiania, Goiás
Especialidade
Patologia

Dados Divulgados por
Vicente Raul Chavarria Irusta
(62) 3225-4554
Av Dr Ismerino Soares de Carvalho 16 - Lab Alpha
Goiania, Goiás
Especialidade
Patologia

Dados Divulgados por
Siderley de Souza Carneiro
(62) 3237-1700
Goiania, Goiás
Especialidade
Patologia

Dados Divulgados por
Maria Luiza Rebelo Pinheiro de L Vieira
(62) 3224-6915
Rua Tres A 170 - Setor Aeroporto
Goiania, Goiás
Especialidade
Patologia

Dados Divulgados por
Dados Divulgados por

Pneumologista

Fornecido por: 

Quase todas as mortes causadas por asma poderiam ter sido evitadas se os pacientes e seus médicos conhecessem melhor a doença, revelou uma pesquisa realizada por toda a Ásia e divulgada nesta terça-feira.  

Segundo a Organização Mundial de Saúde (OMS), estima-se que pelo menos 150 milhões de pessoas sofrem de asma em todo o mundo e que mais de 180.000 morrem da doença a cada ano.

As pessoas que têm asma sofrem e correm riscos desnecessariamente, enquanto asmáticos mais graves arriscam suas vidas recebendo tratamento inadequado, disse o especialista em respiração Christopher Lai.

"O principal responsável pelas mortes causadas pela asma foi o fato de se subestimá-la", acrescentou.

O estudo asiático, realizado entre setembro e dezembro de 2000 sob patrocínio do laboratório farmacêutico GlaxoSmithKline, abrangeu mais de 3.200 pacientes e pais de asmáticos em 13 cidades da China, Cingapura, Coréia, Filipinas, Hong Kong, Malásia, Taiwan e Vietnã.

O estudo revelou que muitos asmáticos não se dão conta da gravidade de sua condição ou desconhecem que a doença pode ser controlada. Muitos também disseram ter recebido diagnóstico e tratamento insuficientes. Sessenta por cento contaram nunca ter feito um simples exame de função pulmonar.

Dentre as pessoas estudadas, 43 por cento disseram que, no período de quatro semanas antecedentes ao questionário, foram acordados à noite devido à asma.

Outras 44 por cento afirmaram ter sido hospitalizadas ou recebido tratamento de emergência por causa de sua condição, durante os 12 meses anteriores ao estudo.

Mais de 91 por cento dos entrevistados não foram tratados com corticosteróide, considerado por alguns médicos o tratamento preventivo mais eficiente disponível.

"Há medo em usar esteróides porque muitos temem que possa implicar em efeitos colaterais," disse. "Na realidade, não ha problemas em sua inalação."

A deterioração...

Clique aqui para ler este artigo em Saude em Movimento

Termos e Condições | Política de Privacidade
Fonte do texto: Saúde em Movimento
Banco de dados de médicos e clínicas: Doctoralia
Obs.: Se seu nome aparece no nosso cadastro e deseja que o tiremos, favor entrar em contato com support@nsphere.net