Problemas respiratórios Crato, Ceará

Conheça as recomendações do imunologista Antônio Condino Neto para evitar as doenças comuns de inverno. Aprenda a se prevenir contra doenças respiratórias. "Os cuidados para evitar o ressecamento nasal são importantes para o conforto do paciente", ele diz. Consulte a lista de especialistas da área, em Crato.

Francisco Heli Cavalcante Lima
3223-4894
R Professor Anacleto 42
Fortaleza, Ceará
Especialidade
Infectologia

Dados Divulgados por
Francisco Lacerda da S C Fh
3261-1631
R Tiburcio Cavalcante 1847
Fortaleza, Ceará
Especialidade
Infectologia

Dados Divulgados por
Roberto da Justa Pires Neto
4009-0357
Av Pontes Vieira 2531
Fortaleza, Ceará
Especialidade
Infectologia

Dados Divulgados por
Francisco Ronald P Oliveira Jr
3266-2800
R Republica do Libano 747
Fortaleza, Ceará
Especialidade
Infectologia

Dados Divulgados por
Roberta dos Santos Silva Luiz
3087-3896
R Antonio Augusto 1271
Fortaleza, Ceará
Especialidade
Infectologia

Dados Divulgados por
Ana Maria de Oliveira
3224-1569
R Joaquim Nabuco 2672
Fortaleza, Ceará
Especialidade
Infectologia

Dados Divulgados por
Evelyne Santana Girao
3261-6565
Av Desembargador Moreira 2120
Fortaleza, Ceará
Especialidade
Infectologia

Dados Divulgados por
Terezinha do Menino Jesus Silva Leitão
Rua Barbosa de Freitas 1950
Fortaleza, Ceará
Especialidade
Infectologia

Dados Divulgados por
Jorge Luiz Nobre Rodrigues
3264-2523
R Barbosa de Freitas 1950
Fortaleza, Ceará
Especialidade
Infectologia

Dados Divulgados por
Erico Gomes de Oliveira
3253-1353
R Rodrigues Junior 1310
Fortaleza, Ceará
Especialidade
Infectologia

Dados Divulgados por
Dados Divulgados por

Problemas respiratórios

Fornecido por: 

Pediatra dá dicas sobre problemas respiratórios no inverno.

Todos os anos, durante o inverno, aumenta o número de pessoas com problemas respiratórios. As temperaturas mais baixas elevam em cerca de 60% a incidência de resfriados, gripes e infecções respiratórias e piora das alergias respiratórias. “O tempo seco e frio, aliado à poluição ambiental e ao maior confinamento em ambientes fechados e pouco arejados, faz com que as pessoas com asma ou rinite tenham crises mais freqüentes e intensas”, diz o médico Antônio Condino Neto, pediatra da Unicamp e imunologista da USP.

A Organização Mundial de Saúde (OMS) estima que existam de 100 a 150 milhões de pessoas com asma no mundo. Segundo a Academia Brasileira de Rinologia (ABR), cerca de 30% da população brasileira sofre de rinite alérgica e a taxa de pacientes com acometimento de doenças respiratórias (incluindo as doenças infecciosas) pode chegar a 50%.

Alguns sintomas como narinas irritadas, sensação de ressecamento nasal e até sangramento do nariz podem afetar qualquer pessoa, especialmente aquelas com histórico de rinite alérgica. “Esses sintomas podem piorar os problemas respiratórios e, em alguns casos, aumentar o risco de infecções”, afirma o especialista.

Segundo Condino, quando a mucosa do nariz está desidratada, a freqüência dos batimentos mucociliares – fina camada de cílios microscópicos que reveste a parte interna do nariz – fica paralisada e não desempenha sua função de filtrar o ar que entra no organismo. Os anticorpos e proteínas antimicrobianas presentes no muco nasal têm sua eficácia reduzida frente ao ressecamento nasal. “Como resultado, o sistema respiratório fica mais exposto aos componentes tóxicos ou irritantes presentes no ar (fumaça de automóveis, das indústrias e de cigarros), aos microorganismos inalados (vírus, bactérias, alérgenos) e à agressividade do ar-condicionado e do clima seco ou frio”, explica o médico.

Para manter as vias aéreas livres de impurezas é recomendada a limpeza nasal, cerca de quatro vezes ao dia, com solução ...

Clique aqui para ler este artigo em Saude em Movimento

Termos e Condições | Política de Privacidade
Fonte do texto: Saúde em Movimento
Banco de dados de médicos e clínicas: Doctoralia
Obs.: Se seu nome aparece no nosso cadastro e deseja que o tiremos, favor entrar em contato com support@nsphere.net