Prótese Dentária Serra, Espírito Santo

Encontre prótese dentária em Serra. Conheça os profissionais especializados desta área em sua região, aproveite e leia nossos artigos com tutoriais, dicas e informações relevantes sobre este assunto.

Alecir de Magalhães Barbalho
(33) 3271-6736
Rua Israel Pinheiro 2801 s 614
Cachoeiro de Itapemirim, Espírito Santo
Especialidade
Odontologia

Dados Divulgados por
Sheila C Batista
(71) 3285-1348
Pc Eng Roberto Pugas 6 s 6
Cachoeiro de Itapemirim, Espírito Santo
Especialidade
Odontologia

Dados Divulgados por
Soraya Consultório Odontológico
(31) 3391-8206
Av José Faria Rocha 2232 sl 207
Cachoeiro de Itapemirim, Espírito Santo
Especialidade
Odontologia

Dados Divulgados por
Raymundo Bernardino Filho
(35) 3833-1266
Rua Cel João Afonso 495
Cachoeiro de Itapemirim, Espírito Santo
Especialidade
Odontologia

Dados Divulgados por
Marcelo Giácomo de Arrais Ykeda Baptista
(41) 3666-1975
Rua Pref Pio Alberti 555 lj 21/22
Cachoeiro de Itapemirim, Espírito Santo
Especialidade
Odontologia

Dados Divulgados por
Flávio S Micina
(41) 3223-4152
Pc Rui Barbosa s/n bl F lj 10
Serra, Espírito Santo
Especialidade
Odontologia

Dados Divulgados por
José Roberto Braga Odontologia e Aparelhos
(62) 3551-1516
Rua José A C Guimara 120
Cachoeiro de Itapemirim, Espírito Santo
Especialidade
Odontologia

Dados Divulgados por
Ênio de Faria Fonseca
(21) 2605-1612
Pc Dr Luís Palmier 53 s 113
Carapina, Espírito Santo
Especialidade
Odontologia

Dados Divulgados por
Edson Barbosa do Nascimento
(83) 3291-2461
Rua Baraozinho s/n
Serra, Espírito Santo
Especialidade
Odontologia

Dados Divulgados por
Maysa Barichello
(51) 3715-5649
Rua Mal Deodoro 476 s 302
Cachoeiro de Itapemirim, Espírito Santo
Especialidade
Odontologia

Dados Divulgados por
Dados Divulgados por

Prótese Dentária

Fornecido por: 

A perda de dentes é algo muito comum, principalmente na classe baixa, pois o acesso a tratamentos dentários normalmente fica restrito aos que têm dinheiro. E quem se vê em uma situação dessas precisa repor o dente perdido, seja por questão de estética, seja por questão de funcionalidade. Hoje em dia, essa reposição é feita com diferentes materiais e distintas maneiras. Uma das técnicas mais usadas é o implante (peça que simula a raiz dos dentes e onde é fixada uma prótese), mas também são populares as próteses fixas (que ficam presas em dentes vizinhos ao dente perdido). Essas próteses são confeccionadas de metal e recobertas de um material - porcelana ou resina - de cor próxima à cor natural do dente.

As próteses fixas costumam apresentar problemas, principalmente os relacionados à estética. Isso porque o metal, mesmo recoberto com outro material, ainda pode ficar um pouco visível, o que denuncia a prótese. Assim, estão sendo pesquisados novos materiais, com a cor próxima à natural do dente, que substituam o metal. Um deles é a cerâmica. Atualmente, ela já é usada pura para repor o dente perdido, mas, apesar de preencher os requisitos estéticos, esse material tem uma limitação quando se trata de resistência mecânica (eles quebram com mais freqüência).

Fibras cerâmicas compostas

O professor da Faculdade de Odontologia da USP, Igor Studart Medeiros, propôs uma tese de doutorado que explora justamente a área de novos materiais mais resistente. Mais especificamente, ele pesquisa as fibras cerâmicas com aplicação na Odontologia. "A partir do contexto atual, surgiu a motivação em se desenvolver materiais que tanto reproduzam uma cor próxima dos dentes quanto que tenham resistência mecânica. Então foi desse problema que surgiu a idéia do trabalho de desenvolver isso", afirma Igor.

A grande diferença da confecção dessas fibras é que é usado o laser como fonte de calor, ao invés de fornos. Com isso, consegue-se controlar o mecanismo da fundição e do resfriamento da peça. "Assim eu tenho o controle da propriedade final das fibras. Então posso ajustar o meu equipamento pra produzir fibras com determinada propriedade", explica o docente. O nome do processo que utiliza o laser como fonte de calor é Laser Heated Pedestal Growth (LHPG). Segundo Igor, "no Brasil, o único grupo que tem essa tecnologia disponível é o grupo de Crescimento de Cristais e Materiais Cerâmicos, que é do Instituto de Física da USP São Carlos e que tem como chefe o professor Antonio Carlos Hernandes, meu orientador".

Os estudos dos docentes foram voltados para duas vertentes. Uma delas foi a pesquisa da compatibilidade dos materiais odontológicos com as fibras. Igor explica que essa pesquisa é importante porque "as fibras não são utilizadas como material puro. Elas são utilizadas como reforço dos materiais de cerâmica existentes no mercado pra fazer prótese fixa porque exis...

Clique aqui para ler este artigo em Saude em Movimento

Termos e Condições | Política de Privacidade
Fonte do texto: Saúde em Movimento
Banco de dados de médicos e clínicas: Doctoralia
Obs.: Se seu nome aparece no nosso cadastro e deseja que o tiremos, favor entrar em contato com support@nsphere.net