Tratamento de Cárie Porto Velho, Rondônia

Encontre dentistas em Porto Velho. Conheça os profissionais especializados desta área em sua região, aproveite e leia nossos artigos com tutoriais, dicas e informações relevantes sobre este assunto.

Débora A Anchieta
(79) 3205-2055
Av João Ribeiro 1388
Porto Velho, Rondônia
Especialidade
Odontologia

Dados Divulgados por
Leonardo Sento Se
(77) 3481-3090
Av Manoel Novaes s/n
Porto Velho, Rondônia
Especialidade
Odontologia

Dados Divulgados por
Giordano da Silva Finholdt
(64) 3623-5874
Rua Juca Bailão 961
Porto Velho, Rondônia
Especialidade
Odontologia

Dados Divulgados por
Fabrício Ruzzarin
(54) 3225-1017
Rua Visc de Pelotas 905 s 31
Porto Velho, Rondônia
Especialidade
Odontologia

Dados Divulgados por
Antônio N Cordova
(49) 3222-4225
Rua Pres Nereu Ramos 73 s 1
Porto Velho, Rondônia
Especialidade
Odontologia

Dados Divulgados por
Francisco Miguel Stroparo
(41) 3222-9909
Rua Emiliano Perneta 424 cj 141
Porto Velho, Rondônia
Especialidade
Odontologia

Dados Divulgados por
Mariano Odontologia
(31) 3762-0649
Rua Benjamin Constant 388 ap 101
Porto Velho, Rondônia
Especialidade
Odontologia

Dados Divulgados por
Pedro A Cunha Fº
(35) 3421-1771
Rua Cel Herculano Cobra 123
Porto Velho, Rondônia
Especialidade
Odontologia

Dados Divulgados por
AlessanJacó Batista
(87) 3861-2617
Rua Eng Walmir Bezerra 49 c A
Porto Velho, Rondônia
Especialidade
Odontologia

Dados Divulgados por
João Bosco Leal Nunes
(38) 3841-1250
Rua Mendo Corrêa 212
Porto Velho, Rondônia
Especialidade
Odontologia

Dados Divulgados por
Dados Divulgados por

Tratamento de Cárie

Fornecido por: 

O xilitol é uma substância que inibe o crescimento e a aderência de bactérias na cavidade bucal, prevenindo a cárie dentária e as infecções das vias aéreas superiores (como a otite média aguda). Ele pode ser encontrado em alguns tipos de gomas de mascar anticárie, porém, para que realmente tenha um efeito protetor contra cáries e infecções respiratórias, seria preciso mascar cerca de cinco chicletes ao dia, durante 15 minutos cada um.

Foi pensando numa maneira mais prática de administrar essa substância que a fonoaudióloga Agnes de Fátima Faustino Pereira desenvolveu um verniz dentário que libera, aos poucos, o xilitol para a boca. O tema foi pesquisado em seu mestrado, apresentado na Faculdade de Odontologia de Bauru (FOB) da USP em março deste ano.

A idéia era justamente descobrir um veículo para administrar o xilitol que não fosse em forma de goma de mascar e que tivesse a mesma atividade antibacteriana. "Nosso resultado final é um verniz transparente que gruda nos dentes e libera a substância gradualmente ao longo do dia", conta. A orientação da pesquisa foi da professora Magali de Lourdes Caldana e a co-orientação da professora Marília Afonso Rabelo Buzalaf, ambas da FOB.

O verniz está em processo de patente e, atualmente, está sendo aprimorado no Laboratório de Bioquímica da FOB. No último mês de setembro, em São Paulo, a pesquisa recebeu o Prêmio Inovar Odontoprev - Programa de Incentivo à Pesquisa e Gestão, por meio do trabalho "Estudo dos efeitos de um verniz contendo xilitol sobre a contagem e ultra-estrutura de S.mutans e S.sobrinus", de autoria do odontopediatra Thiago Cruvinel da Silva - outro pesquisador do xilitol na FOB -, a co-autoria de Agnes, e a orientação da professora Marília Afonso Rabelo Buzalaf, do Laboratório de Bioquímica.

Açúcar

O xilitol é um tipo de açúcar, naturalmente encontrado em frutas, como morango e amora, levemente adocicado e que apresenta 40% menos calorias que o açúcar refinado. Durante o mestrado, foram realizados testes para verificar como ocorria a liberação da substância em saliva artificial, ao longo do tempo, após a aplicação do verniz contendo 10% e 20% do açúcar. "O verniz contendo 10% de xilitol liberou maiores concentrações do açúcar em períodos de tempo mais longos (por até 72 horas após sua aplicação), denotando-se em uma liberação mais lenta e homogênea", afirma Agnes.

Liberação mais lenta e homogênea ocorreu com a concentração de 10% de xilitol
 
Segundo a fonoaudióloga, o recebimento do prêmio representa um incentivo a mais para dar continuidade à pesquisa. "Agora estou desenvolvendo o doutorado onde pretendo avaliar quais as mudanças que a aplicação do verniz proporciona na população de bactérias presentes na boca", conta Agnes. Ela destaca que um outro aspecto importante deste trabalho é que atualmente, na FOB, e sob a coordenação da professora Marília Afonso Rabelo Buzalaf, vár...

Clique aqui para ler este artigo em Saude em Movimento

Termos e Condições | Política de Privacidade
Fonte do texto: Saúde em Movimento
Banco de dados de médicos e clínicas: Doctoralia
Obs.: Se seu nome aparece no nosso cadastro e deseja que o tiremos, favor entrar em contato com support@nsphere.net