Tratamento de Diabetes Natal, Rio Grande do Norte

Encontre onde realizar tratamento de diabetes em Natal. Conheça os profissionais especializados desta área em sua região, aproveite e leia nossos artigos com tutoriais, dicas e informações relevantes sobre este assunto.

Maria Elaine F. de Farias
(84) 3211-9333
Av. Campos Sales 782
Natal, Rio Grande do Norte
Especialidade
Patologia Clínica/Medicina Laboratorial

Dados Divulgados por
Nubia Eleonora D de Medeiros
(84) 3212-1222
Av. Campos Sales 847
Natal, Rio Grande do Norte
Especialidade
Patologia Clínica/Medicina Laboratorial

Dados Divulgados por
Maria do Socorro Santos G Silva
Rua Potengi 467
Natal, Rio Grande do Norte
Especialidade
Patologia Clínica/Medicina Laboratorial

Dados Divulgados por
Marlize de a Romano
(84) 3133-3400
Natal, Rio Grande do Norte
Especialidade
Patologia Clínica/Medicina Laboratorial

Dados Divulgados por
CCI-Cinésio Clínica Integrada
(84) 3206-3086
av Rui Barbosa, 14
Natal, Rio Grande do Norte

Dados Divulgados por
Maria do Socorro S.G. da Silva
(84) 3222-3508
Rua Potengi 467
Natal, Rio Grande do Norte
Especialidade
Patologia Clínica/Medicina Laboratorial

Dados Divulgados por
Zelia Maria Silva de Assis
(84) 3211-8448
Citopatologia Ginecologia e Obstetrícia
Natal, Rio Grande do Norte
Especialidade
Patologia Clínica/Medicina Laboratorial

Dados Divulgados por
Natal Hospital Center
(84) 4009-1000
Afonso Pena 754
Natal, Rio Grande do Norte
Especialidade
Medicina Nuclear

Dados Divulgados por
Centro de Especialidades Médicas
(84) 3211-8100
av Campos Sales, 624
Natal, Rio Grande do Norte

Dados Divulgados por
CEAMI-Centro Atendimento Médico Integrado Ltda
(84) 3214-2114
r Benedito Santana, 10 Igapó
Natal, Rio Grande do Norte

Dados Divulgados por
Dados Divulgados por

Tratamento de Diabetes

Fornecido por: 

Um hormônio encontrado no intestino pode ser usado para tratar diabetes em adultos, de acordo com experiências feitas na Dinamarca.

Os cientistas deram doses do hormônio GLP-1 a 20 pessoas com diabetes tipo 2. Em todos os casos, os organismos dos pacientes passaram a produzir mais insulina - a substância que os diabéticos não produzem ou produzem em quantidade insuficiente.

O problema decorre de uma disfunção no pâncreas que faz com que os diabéticos não consigam controlar os níveis de açúcar no sangue.

Cerca de 10% das pessoas com mais de 60 anos de idade sofrem do chamado diabetes tipo 2.

Insulina

Em um quadro saudável, células do pâncreas produzem o hormônio insulina, que faz a síntese do açúcar.

Atualmente o tratamento do diabetes tipo 2 envolve mudança dos hábitos alimentares e aumento de atividades físicas. Nos casos mais graves, também são usadas substâncias para diminuir o nível de glicose no sangue e injeção de insulina.

Os pacientes que participaram da experiência receberam doses contínuas de GLP-1 ou de uma mistura salina.

No caso dos pacientes que tomaram GLP-1, o hormônio estimulou o funcionamento das chamadas células B, estruturas presentes no pâncreas que são responsáveis pela produção de insulina.

O nível de açúcar no sangue e o apetite dos pacientes também foram reduzidos.

Segundo o coordenador do estudo, Jens Juul Holst, os resultados sugerem que o tratamento com o hormônio pode ter ...

Clique aqui para ler este artigo em Saude em Movimento

Termos e Condições | Política de Privacidade
Fonte do texto: Saúde em Movimento
Banco de dados de médicos e clínicas: Doctoralia
Obs.: Se seu nome aparece no nosso cadastro e deseja que o tiremos, favor entrar em contato com support@nsphere.net