Tratamento de Diabetes Niterói, Rio de Janeiro

Encontre onde realizar tratamento de diabetes em Niterói. Conheça os profissionais especializados desta área em sua região, aproveite e leia nossos artigos com tutoriais, dicas e informações relevantes sobre este assunto.

Sonia Cristina Moreira Borges
(21) 2610-0674
Rua Gavião Peixoto 148 - Sala 601
Niteroi, Rio de Janeiro
Especialidade
Patologia Clínica/Medicina Laboratorial

Dados Divulgados por
Leonardo Justin Carap
(21) 2719-9585
Rua Dr. Borman 23 - 1202
Niteroi, Rio de Janeiro
Especialidade
Medicina Preventiva e Social

Dados Divulgados por
Herbert Praxedes-Hematologia Pat.Onc.e
(21) 610-7147
Rua Coronel Moreira Cesar 229
Niteroi, Rio de Janeiro
Especialidade
Patologia Clínica/Medicina Laboratorial

Dados Divulgados por
Fausto Jose Santos Soares
Rua Miguel de Frias 88 - 1204
Niteroi, Rio de Janeiro
Especialidade
Patologia

Dados Divulgados por
Regina Granato Laboratorio Ltda
(21) 2544-1547
R. Cel. Serrado 688
Sao Goncalo, Rio de Janeiro
Especialidade
Patologia Clínica/Medicina Laboratorial

Dados Divulgados por
Clarisse de Oliveira Waldstein de Moura
(21) 2622-2563
R Mem de Sa 19 - Sl. 1005
Niteroi, Rio de Janeiro
Especialidade
Nutrologia

Dados Divulgados por
Jose Antonio Abi Ramia
(21) 2189-9191
Rua Domingues de Sa 410 - Hospital
Niteroi, Rio de Janeiro
Especialidade
Nutrologia

Dados Divulgados por
Larissa Correa Prieto
Est. Francisco da Cruz Nunes 5803
Niteroi, Rio de Janeiro
Especialidade
Medicina Intensiva

Dados Divulgados por
Alexandre Mônaco
(21) 2719-7680
R Miguel de Frias 77 - Sl. 813 a 816
Niteroi, Rio de Janeiro
Especialidade
Medicina Intensiva

Dados Divulgados por
Clara Rey
(21) 9239-8112
Am. Tamandaré 33 - 503
Rio de Janeiro, Rio de Janeiro
Especialidade
Medicina Preventiva e Social

Dados Divulgados por
Dados Divulgados por

Tratamento de Diabetes

Fornecido por: 

Um hormônio encontrado no intestino pode ser usado para tratar diabetes em adultos, de acordo com experiências feitas na Dinamarca.

Os cientistas deram doses do hormônio GLP-1 a 20 pessoas com diabetes tipo 2. Em todos os casos, os organismos dos pacientes passaram a produzir mais insulina - a substância que os diabéticos não produzem ou produzem em quantidade insuficiente.

O problema decorre de uma disfunção no pâncreas que faz com que os diabéticos não consigam controlar os níveis de açúcar no sangue.

Cerca de 10% das pessoas com mais de 60 anos de idade sofrem do chamado diabetes tipo 2.

Insulina

Em um quadro saudável, células do pâncreas produzem o hormônio insulina, que faz a síntese do açúcar.

Atualmente o tratamento do diabetes tipo 2 envolve mudança dos hábitos alimentares e aumento de atividades físicas. Nos casos mais graves, também são usadas substâncias para diminuir o nível de glicose no sangue e injeção de insulina.

Os pacientes que participaram da experiência receberam doses contínuas de GLP-1 ou de uma mistura salina.

No caso dos pacientes que tomaram GLP-1, o hormônio estimulou o funcionamento das chamadas células B, estruturas presentes no pâncreas que são responsáveis pela produção de insulina.

O nível de açúcar no sangue e o apetite dos pacientes também foram reduzidos.

Segundo o coordenador do estudo, Jens Juul Holst, os resultados sugerem que o tratamento com o hormônio pode ter ...

Clique aqui para ler este artigo em Saude em Movimento

Termos e Condições | Política de Privacidade
Fonte do texto: Saúde em Movimento
Banco de dados de médicos e clínicas: Doctoralia
Obs.: Se seu nome aparece no nosso cadastro e deseja que o tiremos, favor entrar em contato com support@nsphere.net