Tratamento de Edema Agudo Pulmonar Cardiogénico São Paulo, São Paulo

Encontre Tratamento de Edema Agudo Pulmonar Cardiogénico em São Paulo. Conheça os profissionais especializados desta área em sua região, aproveite e leia nossos artigos com tutoriais, dicas e informações relevantes sobre este assunto.

Ana Cecilia Paiva Barreto da Rocha Calfat
(11) 3714-9418
Rua Gaston Elie Pouget 23 - Casa
São Paulo, São Paulo
Especialidade
Nutrologia

Dados Divulgados por
Vanderley Alfredo Madeira da Fonseca
(11) 5542-9244
Jacucaim 104
São Paulo, São Paulo
Especialidade
Patologia Clínica/Medicina Laboratorial

Dados Divulgados por
Ricardo Manoel de Oliveira
(11) 3065-0800
Av. Brasil 1150
São Paulo, São Paulo
Especialidade
Patologia Clínica/Medicina Laboratorial

Dados Divulgados por
Ivan Fernandes da Silva
(11) 3283-5233
Paulista 509 - Cj. 1107
São Paulo, São Paulo
Especialidade
Patologia Clínica/Medicina Laboratorial

Dados Divulgados por
Oduvaldo Goes
(11) 3069-7193
R.Dr.Ovídio Piresa de Campos 225 - Vigilância Sanitária
São Paulo, São Paulo
Especialidade
Administração em Saúde

Dados Divulgados por
Rita Kaarkoski
36751211
Rua Cardoso de Almeida 1991
São Paulo, São Paulo
Especialidade
Nutrologia

Dados Divulgados por
Claudio Pericles
+55 11 26453092
Av. Eng. Luiz Carlos Berrini 1297/ 61
São Paulo, São Paulo
Especialidade
Administração em Saúde

Dados Divulgados por
Aldemir Natucci Rizzo
(11) 3266-5819
Avenida Paulista 575 - Conjunto 507
São Paulo, São Paulo
Especialidade
Medicina do Trabalho

Dados Divulgados por
Masayuki Nakagawa Junior
(11) 3078-0716
Rua Tabapuã 821 - Cj 66
São Paulo, São Paulo
Especialidade
Administração em Saúde

Dados Divulgados por
Cleber Sartorio
(11) 8358-6556
Rua Joquim Felicio 146 - 13 B
São Paulo, São Paulo
Especialidade
Medicina Preventiva e Social

Dados Divulgados por
Dados Divulgados por

Tratamento de Edema Agudo Pulmonar Cardiogénico

Fornecido por: 

Edema Agudo Pulmonar Cardiogénico

DEFINIÇÃO

Edema agudo pulmonar cardiogênico é causado por um aumento súbito da pressão em capilares pulmonares, engurgitamento dos vasos pulmonares (sanguíneos e linfáticos), exsudação para o espaço intersticial e espaços intra-alveolares, manifestando-se por dificuldade respiratória em diversos graus.


CAUSAS TÓXICAS

Complicação secundária observada nas intoxicações que causam:

  • Arritmias (bradicardias, taquicardia supraventricular, taquicardia ventricular)
  • Depressão miocárdica (choque)
  • Isquemia miocárdica
  • Hipertensão grave.


CAUSAS NÃO TÓXICAS

  • Hipervolemia aguda
  • Arritmias cardíacas
  • Drogas depressoras cardíacas
  • Hipertensão
  • Doença valvular esquerda
  • Infarto do miocárdio
  • Miocardite
  • Isquemia miocárdica grave


MANIFESTAÇÕES CLÍNICAS

Dispnéia, taquipnéia, tosse, expectoração espumante, as vezes escarro sanguinolento e sensação de morte iminente.

Taquicardia, hipertensão ou hipotensão, ritmo de galope, estertores em bases ou generalizados e sibilos.


DIAGNOSTICO DIFERENCIAL

  • Síndrome de angústia respiratória do adulto (SARA)
  • Pneumonite aspirativa
  • Asma
  • Hipersecreção brônquica
  • Doença pulmonar obstrutiva crônica
  • Edema pulmonar não cardiogênico
  • Broncopneumonia


INVESTIGAÇÕES RELEVANTES

  • Gasometria arterial
  • Raio X de tórax
  • Ecocardiograma
  • Eletrocardiograma
  • Eletrólitos séricos, uréia e creatinina


TRATAMENTO

Edema pulmonar agudo é considerado uma emergência médica e o tratamento não pode ser adiado. O tratamento inclui:

  • Posicão sentada ou decúbito elevado.
  • Oxigênio em alta concentração.
  • Nitroglicerina.
  • Furosemida.

Se o paciente não responder às medidas acima, então instituir:

  • Nitroglicerina EV: administração contínua.
  • Pressão Aérea Positiva Contínua (CPAP) - pode ser feita com máscara.
  • Ventilação com Pressão Positiva Intermitente (IPPV) por ventilação mecânica. IPPV deve ser instituída assim que o paciente apresentar qualquer sinal de hipoxia cerebral, choque, Pão2 < 60 mmHg (Fi02 > 0.5), acidose metabólica grave, ou PaCO2 > 60 mmHg.


EVOLUÇÃO CLÍNICA E MONITORIZAÇÃO

Monitorização rigorosa deve ser mantida até melhora do paciente e deve incluir:

  • Pulso e pressão arterial
  • Rítmo cardíaco
  • Débito urinário
  • Oximetria de pulso
  • ECGs e gasometria arterial seriados
  • Pressão da artéria pulmonar

Considerar a investigação e manejo apropriado em qualquer condição alterada ou abaixo da normalidade.


COMPLICAÇÕES TARDIAS

O potencial para complicações tardias depende da duração e gravidade da hipóxia e hipotensão, das medidas diagnósticas e terapêuticas instituídas. Podem ocorrer lesoes cerebrais e renais causa...

Clique aqui para ler este artigo em Saude em Movimento

Termos e Condições | Política de Privacidade
Fonte do texto: Saúde em Movimento
Banco de dados de médicos e clínicas: Doctoralia
Obs.: Se seu nome aparece no nosso cadastro e deseja que o tiremos, favor entrar em contato com support@nsphere.net