Tratamento de Hipertermia Alegrete, Rio Grande do Sul

Encontre tratamento de hipertermia em Alegrete. Conheça os profissionais especializados desta área em sua região, aproveite e leia nossos artigos com tutoriais, dicas e informações relevantes sobre este assunto.

Suzana dos Santos
(51) 3226-5947
Professor Annes Dias 154 - 601
Porto Alegre, Rio Grande do Sul
Especialidade
Medicina Intensiva

Dados Divulgados por
Newton Luiz Numa Peixoto Primo
(53) 231-5304
R Zalony 160 - Sl. 606
Rio Grande, Rio Grande do Sul
Especialidade
Medicina Intensiva

Dados Divulgados por
Valerie Noronha Menezes Kreutz
051 36010723
rua bento gonçalves 1049
Osorio, Rio Grande do Sul
Especialidade
Medicina Estetica

Dados Divulgados por
Alexandre Guedes Marcolla
513-2275
R Andradasdos 1711 - Sl. 204
Porto Alegre, Rio Grande do Sul
Especialidade
Medicina do Trabalho

Dados Divulgados por
Melissa Marcanzoni Bortolotto
(51) 3486-1291
Papa João Xxiii 28
Gravatai, Rio Grande do Sul
Especialidade
Medicina de Família e Comunidade

Dados Divulgados por
GISLAINE ROCHA DE QUADROS
(51) 8171-2976
Consultório de Fonoaudiologia em Canoas
Canoas, Rio Grande do Sul
Especialidade
Foniatria

Dados Divulgados por
Thyrso Andrade Machado
(55) 3220-4438
Presidente Vargas 2291
Santa Maria, Rio Grande do Sul
Especialidade
Patologia

Dados Divulgados por
Marcio Pereira Hetzel
(51) 3214-8000
Av Independencia 330 - Sl. 201
Porto Alegre, Rio Grande do Sul
Especialidade
Medicina Intensiva

Dados Divulgados por
Arlinda Quesada Beck
3320-3000
Ipiranga 6690 6690
Porto Alegre, Rio Grande do Sul
Especialidade
Administração em Saúde

Dados Divulgados por
Flávio Dias Silva
(51) 3341-0100
Av. Andaraí 130
Porto Alegre, Rio Grande do Sul
Especialidade
Medicina de Família e Comunidade

Dados Divulgados por
Dados Divulgados por

Tratamento de Hipertermia

Fornecido por: 

Hipertermia

DEFINIÇÃO

Hipertermia é a temperatura corporal central acima de 40,0°C.


CAUSAS TÓXICAS

  • Agentes anticolinérgicos

    Antihistamínicos
    Atropina e alcalóides relacionados

  • Antidepressivos

    Inibidores da Monoamino oxidase (overdose e interações com inibidores da recaptação da serotonina)
    Antidepressivos tricíclicos

  • Antipsicóticos

    Butirofenonas
    Lítio
    Loxapina
    Fenotiazínicos (principalmente flufenazina)

  • Drogas de abuso

    Anfetaminas e compostos relacionados
    Cocaína
    Fenciclidina

  • Síndrome de abstinência

    Barbitúricos
    Benzodiazepínicos
    Etanol

  • Toxinas naturais

    Espécies Lactrodectus

  • Estricnina
  • Agentes simpatomiméticos e anoréticos
  • Hormônios tireoideos

    Tiroxina (T4)
    Tri-iodo-tironina (T3)

  • Ruptores da fosforilação oxidativa

    Ioxinil
    Nitrofenóis e pentaclorofenol
    Salicilatos


CAUSAS NÃO TÓXICAS

  • Tumores cerebrais
  • Insolação
  • Lesão cerebral hipóxica pode resultar em alteração da regulação térmica
  • Infecções (viral, bacteriana, ricketsiana, malária, etc)
  • Mal convulsivo (Status epilepticus)
  • Crise tireoidiana


MANIFESTAÇÕES CLÍNICAS

Avaliação da temperatura central é a chave da investigação (geralmente verificada através da temperatura retal; temperatura oral e axilar não são consideradas confiáveis). Clinicamente, o paciente pode apresentar sudorese profusa devido a termorregulação ou, a pele pode estar seca devido a desidratação ou agentes anticolinérgicos.

Hipertermia persistente resulta em várias e graves complicações agudas. Hipovolemia, decorrente da sudorese e da vasodilatação, diminui o dédito cardíaco e impede a termorregulação. Fadiga muscular ocasiona hiperkalemia, mioglobinúria e insuficiência renal aguda. Lesão endotelial resulta em coagulopatia intravascular disseminada. Mas, o mais importante é que a hipertermia persistente pode causar lesão cerebral aguda e convulsões. Edema pulmonar não-cardiogênico (síndrome de angústia respiratória do adulto) também pode ocorrer. Morte é frequentemente súbita e provavelmente resultante de arritmia cardíaca.

Inicialmente, os sinais e sintomas podem diferir de acordo com as drogas envolvidas. Por exemplo, agentes anticolinérgicos estão geralmente associados com pele seca e quente, enquanto agentes simpatomiméticos (anfetaminas, cocaína) mais provavelmente resultem em palidez, pele úmida, tremores e convulsões.

Várias síndromes com hipertermia foram bem descritas:

Hipertermia Maligna (HM)
Síndrome hereditária em que certos agentes anestésicos causam contração generalizada de células musculares, resultando em uma intensa produção de calor e acidose láctica aguda. São causas comuns: Enflurano, Halotano, Isoflurano e Succinilcolina.

Síndrome Neuroléptica Maligna (SNM)
Síndro...

Clique aqui para ler este artigo em Saude em Movimento

Termos e Condições | Política de Privacidade
Fonte do texto: Saúde em Movimento
Banco de dados de médicos e clínicas: Doctoralia
Obs.: Se seu nome aparece no nosso cadastro e deseja que o tiremos, favor entrar em contato com support@nsphere.net