Tratamento de Hipertermia Barra Mansa, Rio de Janeiro

Encontre tratamento de hipertermia em Barra Mansa. Conheça os profissionais especializados desta área em sua região, aproveite e leia nossos artigos com tutoriais, dicas e informações relevantes sobre este assunto.

Patrícia Ferreira Dalboni
(24) 3348-8888
Rua Quarenta 20 (sala 508)
Volta Redonda, Rio de Janeiro
Especialidade
Medicina Estetica

Dados Divulgados por
Rubens Carmo Costa Filho
(21) 2528-1547
Atahualpa 86 - 1
Rio de Janeiro, Rio de Janeiro
Especialidade
Medicina Intensiva

Dados Divulgados por
Eduardo de Mendonca e Silva
2254-5194
R. Gal. Roca 685 - 601
Rio de Janeiro, Rio de Janeiro
Especialidade
Nutrologia

Dados Divulgados por
José Manoel Alves de Oliveira
(21) 2556-8096
Rua do Catete 90 - Sala 404
Rio de Janeiro, Rio de Janeiro
Especialidade
Medicina do Trabalho

Dados Divulgados por
Euzelia Mamede Silveira
(21) 2549-8282
Avenida Nossa Senhora de Copacabana 427 - Sala 1205
Rio de Janeiro, Rio de Janeiro
Especialidade
Nutrologia

Dados Divulgados por
Dailton Medeiros
(21) 2527-5500
R. Voluntarios da Patria 190 - 513
Rio de Janeiro, Rio de Janeiro
Especialidade
Patologia

Dados Divulgados por
Cristiane Xavier
(021) 3553-6440
Av. das Américas 3200 - Barra da Tijuca
Rio de Janeiro, Rio de Janeiro
Especialidade
Terapias Complementares e Alternativas

Dados Divulgados por
Asilo da Velhice Desamparada
(22) 2772-7442
Rua Luis Belegard 540
Macae, Rio de Janeiro
Especialidade
Medicina Nuclear

Dados Divulgados por
Arquimedes Lima
(22) 2665-1709
Rua Oscar Clark 151 - L 4
Araruama, Rio de Janeiro
Especialidade
Medicina Intensiva

Dados Divulgados por
Clara Rey
(21) 9239-8112
Am. Tamandaré 33 - 503
Rio de Janeiro, Rio de Janeiro
Especialidade
Medicina Preventiva e Social

Dados Divulgados por
Dados Divulgados por

Tratamento de Hipertermia

Fornecido por: 

Hipertermia

DEFINIÇÃO

Hipertermia é a temperatura corporal central acima de 40,0°C.


CAUSAS TÓXICAS

  • Agentes anticolinérgicos

    Antihistamínicos
    Atropina e alcalóides relacionados

  • Antidepressivos

    Inibidores da Monoamino oxidase (overdose e interações com inibidores da recaptação da serotonina)
    Antidepressivos tricíclicos

  • Antipsicóticos

    Butirofenonas
    Lítio
    Loxapina
    Fenotiazínicos (principalmente flufenazina)

  • Drogas de abuso

    Anfetaminas e compostos relacionados
    Cocaína
    Fenciclidina

  • Síndrome de abstinência

    Barbitúricos
    Benzodiazepínicos
    Etanol

  • Toxinas naturais

    Espécies Lactrodectus

  • Estricnina
  • Agentes simpatomiméticos e anoréticos
  • Hormônios tireoideos

    Tiroxina (T4)
    Tri-iodo-tironina (T3)

  • Ruptores da fosforilação oxidativa

    Ioxinil
    Nitrofenóis e pentaclorofenol
    Salicilatos


CAUSAS NÃO TÓXICAS

  • Tumores cerebrais
  • Insolação
  • Lesão cerebral hipóxica pode resultar em alteração da regulação térmica
  • Infecções (viral, bacteriana, ricketsiana, malária, etc)
  • Mal convulsivo (Status epilepticus)
  • Crise tireoidiana


MANIFESTAÇÕES CLÍNICAS

Avaliação da temperatura central é a chave da investigação (geralmente verificada através da temperatura retal; temperatura oral e axilar não são consideradas confiáveis). Clinicamente, o paciente pode apresentar sudorese profusa devido a termorregulação ou, a pele pode estar seca devido a desidratação ou agentes anticolinérgicos.

Hipertermia persistente resulta em várias e graves complicações agudas. Hipovolemia, decorrente da sudorese e da vasodilatação, diminui o dédito cardíaco e impede a termorregulação. Fadiga muscular ocasiona hiperkalemia, mioglobinúria e insuficiência renal aguda. Lesão endotelial resulta em coagulopatia intravascular disseminada. Mas, o mais importante é que a hipertermia persistente pode causar lesão cerebral aguda e convulsões. Edema pulmonar não-cardiogênico (síndrome de angústia respiratória do adulto) também pode ocorrer. Morte é frequentemente súbita e provavelmente resultante de arritmia cardíaca.

Inicialmente, os sinais e sintomas podem diferir de acordo com as drogas envolvidas. Por exemplo, agentes anticolinérgicos estão geralmente associados com pele seca e quente, enquanto agentes simpatomiméticos (anfetaminas, cocaína) mais provavelmente resultem em palidez, pele úmida, tremores e convulsões.

Várias síndromes com hipertermia foram bem descritas:

Hipertermia Maligna (HM)
Síndrome hereditária em que certos agentes anestésicos causam contração generalizada de células musculares, resultando em uma intensa produção de calor e acidose láctica aguda. São causas comuns: Enflurano, Halotano, Isoflurano e Succinilcolina.

Síndrome Neuroléptica Maligna (SNM)
Síndro...

Clique aqui para ler este artigo em Saude em Movimento

Termos e Condições | Política de Privacidade
Fonte do texto: Saúde em Movimento
Banco de dados de médicos e clínicas: Doctoralia
Obs.: Se seu nome aparece no nosso cadastro e deseja que o tiremos, favor entrar em contato com support@nsphere.net