Tratamento de Queimaduras Porto Velho, Rondônia

Encontre tratamento de queimaduras em Porto Velho. Conheça os profissionais especializados desta área em sua região, aproveite e leia nossos artigos com tutoriais, dicas e informações relevantes sobre este assunto.

Joao Tarcisio M Spinelli
(69) 3221-9789
Quintino Bocaiuva 2132
Porto Velho, Rondônia
Especialidade
Patologia Clínica/Medicina Laboratorial

Dados Divulgados por
Fisiopilates - Clinica de Fisioterapia e Reabilitacao Ltda Me
(69) 3229-5606
r Pio XII, 1139, A, Pedrinhas
Porto Velho, Rondônia

Dados Divulgados por
P S A Gondim
(69) 3221-1262
r Afonso Pena, 78, Sl 1, Centro
Porto Velho, Rondônia

Dados Divulgados por
Instituto de Ortopedia e Traumatologia de Rondonia
(69) 3223-2055
r Paulo Leal, 381, Tr Hosp Prontocor, N S das Graças
Porto Velho, Rondônia

Dados Divulgados por
Joao Tarcisio M Spinelli
(69) 3221-9789
Quintino Bocaiuva 2132
Porto Velho, Rondônia
Especialidade
Patologia Clínica/Medicina Laboratorial

Dados Divulgados por
Auriane Saldanha D. de Abreu
(69) 3229-0053
Rua Senador Alvaro Maia 1409
Porto Velho, Rondônia
Especialidade
Nutrologia

Dados Divulgados por
Centro de Ortopedia Lima Ltda
(69) 3224-8235
r Júlio de Castilho, 149, Centro
Porto Velho, Rondônia

Dados Divulgados por
Clinica de Gastroenterologia Cirurgica Dr: Mizel de Melo Pinto
(69) 3229-4979
r Afonso Pena, 50, Sl 8, Centro
Porto Velho, Rondônia

Dados Divulgados por
Auriane Saldanha D. de Abreu
(69) 3229-0053
Rua Senador Alvaro Maia 1409
Porto Velho, Rondônia
Especialidade
Nutrologia

Dados Divulgados por
Leandro Debs Procopio
(69) 3026-6002
Av Carlos Gomes 2746
Porto Velho, Rondônia
 
Dados Divulgados por

Tratamento de Queimaduras

Fornecido por: 

Um medicamento à base de própolis para regenerar pele, evitar contaminação e estimular a cicatrização em queimaduras está pronto para ser produzido em escala industrial. Trata-se de um líquido gelado que se transforma em gel quando em contato com a pele. O produto já foi testado na Unidade de Queimados do Hospital das Clínicas da Faculdade de Medicina de Ribeirão Preto (HC/FMRP).

A farmacêutica Andresa Berretta é a autora do trabalho, concluído no início do mês passado na Faculdade de Ciências Farmacêuticas de Ribeirão Preto (FCFRP). Além de mostrar que tem ações semelhantes àquelas encontradas nos produtos sintéticos, de auxílio na regeneração da pele, evitar a contaminação e estimular a cicatrização, a descoberta traz vantagens adicionais.

"Além de ser um produto natural, o sistema de geleificação libera o princípio ativo da própolis de forma prolongada, aumentando o seu tempo de ação, o que reduz o número de aplicações. Esse sistema é chamado de termo-reversível, ou seja, é aplicado frio e na forma líquida, em contato com a pele, em temperatura mais alta, se geleifica. Outra vantagem para o bem-estar do paciente é que o gel é mais fácil de ser retirado do que uma pomada, por exemplo," afirma a orientadora do trabalho, professora Juliana Marchetti, da FCFRP.

As pesquisadoras comemoram os resultados e dizem que o próximo passo é disponibilizar a formulação para uso também doméstico, para pequenas queimaduras. "Essa foi uma conquista, pois já sabíamos que em Cuba utiliza-se a própolis para queimaduras, mas de forma quase que artesanal uma vez que sua transformação em medicamento requer maior rigor, padronização e condições técnico-operacionais compatíveis com a indústria farmacêutica", analisa Andresa.

Segundo a pesquisadora, as concentrações das substâncias presentes na própolis mudam de região para região, por isso foi necessário fazer primeiro a padronização dessa composição para garantir que todo o lote utilizado na pesquisa tivesse a mesma concentração dos princípios ativos. "Nessa padronização fizemos um extrato selecionado e estabelecemos limites para determinados princípios ativos conferindo capacidade de reprodução lote-a-lote", explica. "Concluímos que não havia nenhum tipo de efeito colateral nem alteração na pele. Daí patenteamos o extrato", revela.

Testes

Os testes pré-clínicos foram realizados em ratos do sexo masculino da espécie Rattus norvegicus, da linhagem Wistar. Os testes clínicos, na Unidade de Queimados do HC, foram feitos em 31 pacientes em área chamada doadora, ou seja, local de onde é retirada a pele para o enxerto na área queimada. A pesquisadora optou por testar nessa área, onde a pele também tem que se regenerar, porque apresenta dimensão e profundidade padronizadas em toda sua extensão, facilitando a análise.

"Numa parte dessa área que passou pela cirurgia de remoção de pele, usamos o extrato de própolis e em outra, a pomad...

Clique aqui para ler este artigo em Saude em Movimento

Termos e Condições | Política de Privacidade
Fonte do texto: Saúde em Movimento
Banco de dados de médicos e clínicas: Doctoralia
Obs.: Se seu nome aparece no nosso cadastro e deseja que o tiremos, favor entrar em contato com support@nsphere.net