Tratamento de Varizes Toledo, Paraná

Encontre Tratamento de varizes em Toledo. Conheça os profissionais especializados desta área em sua região, aproveite e leia nossos artigos com tutoriais, dicas e informações relevantes sobre este assunto.

Paulo Renato Calliari
(41) 3224-3346
R. Lourenço Pinto 196 - Cj 802
Curitiba, Paraná
Especialidade
Medicina de Tráfego

Dados Divulgados por
Regional Hospital de Caridade N. Sra. Aparecida
(42) 3524-3388
Br 476 - Km 03
Uniao Da Vitoria, Paraná
Especialidade
Nutrologia

Dados Divulgados por
Affonso Coelho
(41) 3222-4896
Av Marechal Floriano Peixoto 228 - Cj 604
Curitiba, Paraná
Especialidade
Patologia Clínica/Medicina Laboratorial

Dados Divulgados por
Marco Cesar Palumbo Maggi
(44) 3622-4200
Rua Min. Oliveira Salazar 4253
Umuarama, Paraná
Especialidade
Patologia Clínica/Medicina Laboratorial

Dados Divulgados por
Champagnat Clin. e Lab.
(41) 3335-5252
Rua Des. Isaias Bevilaqua 512
Curitiba, Paraná
Especialidade
Genética Médica

Dados Divulgados por
Lycurgo Tostes de Andrade
(43) 3323-9784
Duque de Caxias 1980 - 204
Londrina, Paraná
Especialidade
Medicina Legal

Dados Divulgados por
Salmo Raskin
(41) 3306-6838
Rua Saldanha Marinho 1782
Curitiba, Paraná
Especialidade
Genética Médica

Dados Divulgados por
Claudio Tacashi Takada
(41) 9157-2909
Av: João Gualberto 1988
Curitiba, Paraná
Especialidade
Medicina do Trabalho

Dados Divulgados por
Renato da Silva Freitas
(41) 3335-7474
R. Solimões 1154 Merces
Curitiba, Paraná
Especialidade
Cirurgia Cranio-Maxilo-Facial

Dados Divulgados por
Jose Almeida Fonseca
232-1533
R Major Otavioovaes 112
Castro, Paraná
Especialidade
Patologia Clínica/Medicina Laboratorial

Dados Divulgados por
Dados Divulgados por

Tratamento de Varizes

Fornecido por: 

Uma nova técnica para o tratamento de varizes em pessoas com úlcera venosa foi testada com sucesso pelo cirurgião vascular Luiz Marcelo Aiello Viarengo durante pesquisa para a sua tese de doutoramento, apresentada à Faculdade de Ciências Médicas (FCM) da Unicamp. O método, batizado com a sigla EVL, consiste na aplicação de laser por via endovenosa. Ao final do trabalho, em que todos os pacientes foram acompanhados pelo período de um ano, 81,5% das feridas tratadas com o laser estavam cicatrizadas. O índice de cicatrização entre as pessoas que receberam apenas o tratamento clínico (grupo controle) ficou em 24%. "Além disso, não registramos recorrência de úlceras entre os que foram tratados com o EVL. Entre os demais, a reincidência foi da ordem de 44,4%", afirma o autor do trabalho, que foi orientado pelos professores Fábio Husemann Menezes e João Potério Filho.

A pesquisa de Viarengo foi realizada junto a 52 pacientes portadores de varizes dos membros inferiores com úlcera venosa, que faziam acompanhamento médico há mais de um ano. Eles foram divididos em dois grupos. O primeiro, constituído por 25 indivíduos, recebeu somente tratamento clínico. O segundo, formado por 27 pacientes, foi tratado tanto clinicamente quanto com o EVL. Conforme o autor do trabalho, todos foram analisados com ultra-som no início e no término do estudo.

Além dos resultados já citados, a nova técnica possibilitou outros ganhos terapêuticos, como revela o cirurgião vascular. De acordo com ele, a área média das feridas dos pacientes tratados apenas clinicamente foi reduzida de 18,04 cm2 para 13,16 cm2 ao final de um ano. Entre as pessoas que receberam a aplicação do laser, a área foi diminuída de 22,7 cm2 para 3,64cm2 no mesmo período. "Um dado importante é que não foi registrado qualquer efeito adverso relevante com o uso do laser", acrescenta Viarengo.

O médico explica que o EVL é uma técnica cirúrgica considerada minimamente invasiva. Ao contrário do procedimento tradicional, não é preciso fazer incisões ou retirar a parte comprometida da veia. "Nós fazemos uma punção na veia, que se assemelha à aplicação de uma injeção. Em seguida, introduzimos uma fibra óptica no vaso, na região do tornozelo, e a encaminhamos até a altura da virilha com o auxílio do ultra-som. Na seqüência, fazemos uma infiltração com soro fisiológico e anestésico. Por último, aplicamos o laser. Cada paciente recebeu apenas uma aplicação. Destaque-se que todo o procedimento foi feito em ambiente ambulatorial e durou cerca de 40 minutos. Em seguida, o paciente teve o membro enfaixado e foi imediatamente liberado", detalha Viarengo.

O cirurgião vascular considera que o EVL demonstrou ser uma técnica extremamente segura e eficaz para o tratamento de pacientes com varizes e úlcera. Ele lembra que boa parte dos portadores desse problema normalmente sofre por longos anos com feridas abertas. "Algumas pessoas ...

Clique aqui para ler este artigo em Saude em Movimento

Termos e Condições | Política de Privacidade
Fonte do texto: Saúde em Movimento
Banco de dados de médicos e clínicas: Doctoralia
Obs.: Se seu nome aparece no nosso cadastro e deseja que o tiremos, favor entrar em contato com support@nsphere.net